Terça-Feira, 23 de Maio de 2017 |

Colunista


Cantinho Ecológico


Marco Aurélio


verdade@cpovo.net


ELEFANTES ATROPELADOS
Quatro elefantes - uma fêmea e três filhotes - morreram atropelados nesta quarta-feira (17) por um trem no norte de Sri Lanka. O acidente aconteceu em Cheddikulam, a 260 km de Colombo, a capital. “Um dos filhotes foi arrastado ao longo de 300 metros de ferrovia”, contou um policial local. É o acidente mais grave registrado com elefantes no país, onde eles são considerados animais sagrados. No entanto cerca de 200 elefantes morrem de forma violenta todos os anos, muitos deles abatidos por camponeses revoltados porque destroem seus cultivos. Por outro lado, os elefantes em liberdade matam cerca de 50 pessoas por ano. Segundo as últimas estimativas, há cerca de 7 mil elefantes no país, quando no início do século XX havia 12 mil exemplares. (Fonte: G1)

ENCONTRADA PIRÂMIDE MAIS ANTIGA QUE A DO EGITO
Um grupo de arqueólogos descobriu um mausoléu em forma de pirâmide na região de Qaraghandy, no centro do Cazaquistão, que data da Idade de Bronze (séculos XII - XIV a.C.). “Encontramos um grande grupo de sepulturas. Há um grande túmulo em forma de pirâmide no centro do grupo, que pertence, presumivelmente, ao líder”, explicou nesta quarta-feira à Agência Efe o responsável pela escavação, Igor Kukushkin. Foi encontrado também um pequeno grupo de ossos humanos que estavam dispersos em torno das sepulturas. Provavelmente, os ladrões esparramaram os ossos pelos túmulos na busca de objetos de valor. Os arqueólogos acharam também dois crânios, que serão entregues a antropólogos para que possam determinar a idade e o sexo. A pirâmide achada em terra cazaque mostra traços similares aos das pirâmides do Egito, segundo os especialistas. Porém, ela foi construída presumidamente quase mil anos antes. Os cientistas encontraram também uma faca de bronze, pontas de flechas, agulhas, utensílios de cerâmica e ossos de animais no local da escavação. (Fonte: Terra)

JURASSIC PARK NA BOLÍVIA
O parque jurássico apresentado no filme de Steven Spielberg parece estar na Bolívia. A descoberta no seu território da suposta pegada de um dinossauro terópode Abelissauro, um dos maiores do planeta, poderia convertê-lo na meca da paleontologia. Anunciada no final de julho, a descoberta em Maragua, no sul do país, da pegada de 1,15 metros de diâmetro deste carnívoro característico do Cretáceo Superior é “simplesmente impressionante”, disse à AFP o paleontólogo Omar Medina. Este predador de 15 metros de altura viveu há 80 milhões de anos no que hoje é o departamento de Chuquisaca, que na época era uma zona costeira de clima quente. Nessa região, onde se encontram vestígios de algas marinhas, também “existiam os maiores répteis voadores que já existiram”, segundo Medina. Chuquisaca, cuja cidade principal é Sucre, capital da Bolívia, abriga uma infinidade de evidências que em outubro serão estudadas por uma equipe de cientistas bolivianos, argentinos e uruguaios. Discutirão, por exemplo, “a importância do fóssil de carapaça do gliptondonte, por ser talvez o último que existiu”. O fóssil de gliptodonte, uma espécie de tatu gigante caracterizado no filme “A era do gelo”, foi descoberto em março deste ano em Yamparáez, também em Chuquisaca. Viveu no Quaternário e foi extinto há cerca de 10 mil anos. Outra jazida importante foi descoberta no Vale Icla, na mesma região, “com dinossauros de 120 milhões de anos, que estão sendo testemunhados pela presença de pegadas de estegossauros, que se pensava que não existiam na América do Sul”.

COMENTÁRIOS ()