Terça-Feira, 25 de Abril de 2017 |

Colunista


Cantinho Ecológico


Marco Aurélio


verdade@cpovo.net


PLANETA HABITÁVEL PRÓXIMO AO SISTEMA SOLAR
Uma equipe de pesquisadores, incluindo astrofísicos do Centro Nacional de Pesquisa Científica (CNRS), calcularam o tamanho do planeta apelidado Proxima b, assim como as propriedades da sua superfície, e concluíram que este pode ser um "planeta de oceanos" semelhante à Terra. Cientistas anunciaram a descoberta do “Proxima b” em agosto, e disseram que este pode ser o primeiro exoplaneta (planeta fora do nosso Sistema Solar) a ser visitado, um dia, por robôs da Terra.

O planeta orbita dentro de uma zona "temperada" da sua estrela Proxima Centauri, localizada a 'apenas' 4,2 anos-luz da Terra. Estima-se que o Proxima b tenha uma massa de cerca de 1,3 vezes a da Terra e que orbita a cerca de 7,5 milhões de km da sua estrela - cerca de um décimo da distância a que orbita Mercúrio, o planeta mais próximo do Sol. "Ao contrário do que se poderia esperar, tal proximidade não significa necessariamente que a superfície do Proxima b seja muito quente" para a água existir na forma líquida, disse um comunicado do CNRS. Proxima Centauri é menor e 1.000 vezes mais fraca do que o nosso Sol, o que significa que o Proxima b está exatamente na distância certa para as condições serem potencialmente habitáveis. "O planeta pode muito bem conter água líquida em sua superfície e, portanto, também algumas formas de vida", disse o comunicado.

O tamanho de exoplanetas é geralmente calculado medindo a quantidade de luz que eles bloqueiam, a partir da perspectiva da Terra, quando passam na frente da sua estrela hospedeira. Mas nenhum trânsito deste tipo do Proxima b foi observado ainda, então a equipe teve que confiar em simulações para estimar a composição e o raio do planeta. (Fonte: Correio do Povo)


ACORDO DE PARIS
O acordo sobre a mudança climática destinado a reduzir as emissões de gases de efeito estufa foi ratificado por 72 países e entrará em vigor em um prazo de 30 dias, segundo anúncio da ONU nesta quarta-feira (5). Em 5 de outubro de 2016, o limite para a entrada em vigor do Acordo de Paris foi alcançado, anunciou em seu site a Convenção Marco da ONU sobre Mudança Climática (CMNUCC). Na terça-feira (4), o Parlamento Europeu havia aprovado a ratificação do Acordo de Paris contra as mudanças climáticas, o que abriu caminho para a entrada em vigor do primeiro pacto mundial contra o aquecimento global.

No dia 12 de dezembro do ano passado, 195 países e a UE se comprometeram na conferência do clima de Paris (COP21) a deter o aumento da temperatura do planeta “muito abaixo dos 2ºC” e a ajudar economicamente os países mais vulneráveis ao aquecimento global. Para a entrada em vigor do acordo, que substituirá a partir de 2020 o atual Protocolo de Kyoto, 55 países que representem 55% das emissões de gases de efeito estufa (GEI) precisavam ratificá-lo. Os 55% foram superados após a UE ratificar o acordo. “A Europa mostra na terça que é capaz de grandes coisas quando sabe conjugar suas energias e suas forças”, disse o presidente do executivo europeu, Jean-Claude Juncker. (Fonte: G1)

COMENTÁRIOS ()