Sábado, 24 de Junho de 2017 |

Colunista


Cantinho Ecológico


Marco Aurélio


verdade@cpovo.net


As férias e o ecoturismo - reserva biológica do lami

* A Reserva Biológica do Lami José Lutzenberger é uma unidade de conservação ambiental protegida por lei, localizada no bairro Lami, na cidade de Porto Alegre. Contando com 179 hectares, a reserva foi nomeada em homenagem a José Lutzenberger, agrônomo e ambientalista porto-alegrense de renome internacional. A reserva foi criada pelo decreto nº 4097 de 1975, tendo sido a primeira reserva biológica municipal do Brasil. Protege alguns dos ecossistemas originais e espécies nativas de fauna e flora da região de Porto Alegre. Além disso, a Reserva Biológica do Lami José Lutzenberger dá suporte a atividades de pesquisa científica e de educação ambiental.

* Mais de 120 espécies de aves nativas já foram registradas na reserva, dentre as quais, várias aves migratórias. Os banhados e juncais servem como verdadeiros berçários para muitos organismos aquáticos, como peixes, anfíbios e moluscos. Nas elevações arenosas podem ser encontrados ovos de tartaruga e lagartos. A capivara (Hydrochoeruss hydrochaeris), o maior roedor do planeta, pode ser encontrada nadando no arroio Lami, pastando nos campos ou ainda escondida nas matas. Outros exemplos de espécieis encontradas na unidade de conservação são a efédra (Ephedra tweediana) - vegetal característico das matas de restinga, um dos ecossistemas mais ameaçados no Rio Grande do Sul, a figueira branca (Ficus organensis), a corticeira do banhado (Erythrina crista-galli), o jacaré-de-papo-amarelo (Caiman latirostris) e a lontra (Lutra longicaudis).

As férias e o ecoturismo - parque estadual de itapuã

* O Parque Estadual de Itapuã, localizado no município de Viamão, a 57 Km de Porto Alegre, é uma Unidade de Conservação de Proteção Integral e abriga uma das últimas amostras dos ambientes originais da Região Metropolitana da capital gaúcha. O Parque foi reaberto em abril de 2002, após ter ficado fechado por mais de dez anos para a recuperação de seus ecossistemas e sua estruturação administrativa. O Farol de Itapuã, concluído em 1860, marca o encontro das águas do Lago Guaíba com a Laguna dos Patos. Existem elementos históricos que evidenciam fatos da Revolução Farroupilha (1835-1845) no Morro da Fortaleza, na Ilha do Junco e na Ferraria dos Farrapos. No Centro de Visitantes, há uma exposição fotográfica permanente com diversas imagens da unidade de conservação, e para grupos agendados é ministrada uma palestra com as informações e a história do Parque. O Parque Estadual de Itapuã, criado em 1991, abrange cerca de 5.570 hectares, onde se encontra uma diversidade de paisagens e ecossistemas compostos de morros, praias de água doce, dunas, lagoas e banhados, bem como um número significativo de espécies raras e ameaçadas de extinção: cerca de 40 espécies de répteis, 30 espécies de anfíbios, 200 espécies de aves incluindo as migratórias, e um expressivo número de espécies de mamíferos, entre estes a jaguatirica, a lontra e o bugio-ruivo. Este último foi adotado como símbolo do Parque Estadual de Itapuã.

* O Parque está aberto à visitação de quarta-feira a domingo, inclusive nos feriados, das 9h às 18h. Duas áreas estão abertas à visitação - Praia das Pombas e Praia da Pedreira, sendo que o número de visitantes está limitado a 350 pessoas por praia, por dia. No Centro de Visitantes pode-se assistir a um vídeo sobre o Parque, além de visitar a exposição fotográfica permanente com diversas imagens da Unidade de Conservação. O Parque oferece infraestrutura com banheiros, vestiários, estacionamento, churrasqueiras, com vigilância. Quanto à alimentação, indicamos que o visitante leve seu próprio lanche,
principalmente em caso de visita à Praia da Pedreira. É obrigatório levar o carvão, pois não é permitido o uso de qualquer tipo de material existente no Parque (gravetos, etc.).
A visitação no Parque Estadual de Itapuã tem como foco a contemplação da natureza e a recreação em contato com os ambientes naturais.

COMENTÁRIOS ()