Segunda-Feira, 24 de Abril de 2017 |

Colunista


Cantinho Ecológico


Marco Aurélio


verdade@cpovo.net


Grandes personalidades da ciência – Parte II

Dando continuidade aos festejos do Dia da Mulher, segue a segunda e última parte do resgate histórico da biografia de grandes personalidades femininas envolvidas no universo das ciências. São elas:

Nise Silveira (1905-1999) - Psiquiatra renomada, a brasileira foi aluna de Carl Jung. Lutou contra métodos de tratamento comuns na sua época, como terapias agressivas de choque, confinamento e lobotomia. Durante a Intentona Comunista, em 1936, foi presa por possuir livros marxistas e acabou conhecendo o escritor Graciliano Ramos, que a transformou em uma personagem de seu livro “Memórias do Cárcere”.

Gertrude Bell Elion (1918-1999) - A americana criou medicações para suavizar sintomas de doenças como Aids, leucemia e herpes, usando métodos inovadores de pesquisa – seus remédios matavam ou inibiam a produção de patógenos, sem causar danos às células contaminadas. Ganhou o prêmio Nobel de medicina em 1988.

Johanna Dobereiner (1924-2000) - A agrônoma realizou pesquisas fundamentais para que o Brasil se tornasse um grande produtor de soja, além de ter desenvolvido o Proalcool. Estima-se que suas pesquisas fazem com que o nosso país economizem 1,5 bilhões de dólares todos os anos, que seriam gastos em fertilizantes. Seu estudo sobre fixação de oxigênio permitiu que mais pessoas tivessem acesso a alimentos baratos e lhe rendeu uma indicação para o Nobel de Química em 1997.

Dorothy Stang (1931-2005) - Dorothy Mae Stang, conhecida como Irmã Dorothy foi uma freira norte-americana naturalizada brasileira. A sua participação em projetos de desenvolvimento sustentável ultrapassou as fronteiras da pequena Vila de Sucupira, no município de Anapu, no Estado do Pará, a 500 quilômetros de Belém do Pará, ganhando reconhecimento nacional e internacional. Irmã Dorothy mantinha intensa agenda de diálogo com lideranças camponesas, políticas e religiosas, na busca de soluções duradouras para os conflitos relacionados à posse e à exploração da terra na Região Amazônica.

Ministério reforça apoio a Campanha da Fraternidade

O Ministério do Meio Ambiente reforçou o apoio à Campanha da Fraternidade 2017, que neste ano tem como tema os biomas brasileiros e a defesa da vida. O ministro Sarney Filho disse que a iniciativa, lançada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), fortalece a conservação e conscientiza para a preservação. “Eu acredito que a campanha veio na hora certa. Como estamos vendo, os nossos biomas estão sob ameaça de desmatamento. Na Amazônia, o desmatamento, que vinha em queda nos últimos 10 anos, aumentou nos dois últimos anos. E quando você afeta os biomas, afeta o reabastecimento dos rios. Por isso, a importância dessa parceria com a CNBB”, disse o ministro. A Campanha da Fraternidade 2017 tem como lema cultivar e guardar a criação e aborda os seis biomas brasileiros, suas características e significados, desafios e as principais iniciativas já existentes na defesa da biodiversidade e da cultura dos povos originários. Entre as ações propostas está o aprofundamento de estudos e debates nas escolas públicas e privadas sobre o tema. Fonte: Portal Brasil.

COMENTÁRIOS ()