Quinta-Feira, 19 de Outubro de 2017 |

Colunista


Cantinho Ecológico


Marco Aurélio


verdade@cpovo.net


Aldeia Marciana
A China anunciou nesta quarta-feira (26) que planeja construir a primeira “aldeia marciana”, que simulará o território de Marte. O local será criado na prefeitura autônoma mongol-tibetana de Haixi, na província de Qinghai, informou o canal chinês CGTN. De acordo com o Centro de Investigação da Lua e Espaço Profundo da Academia Chinesa de Ciências (SACMDE), o espaço será usado para pesquisas e simulações de experimentos científicos. A região, que possui 9,5 milhões de km², foi escolhida devido a suas condições climáticas, que são relativamente duras. O ambiente também quase não tem vegetação, o que o torna muito “parecido com a superfície de Marte”, explicou Liu Xiaoqun, diretor do SACMDE. Segundo ele, a vila marciana poderá se tornar um centro turístico e educativo, além de ser um atrativo para a economia da região de Qinghai, localizada a oeste de Pequim. (Fonte: Terra)

Observação de aves salva espécies e movimenta bilhões
Ao lado da Nasa, na Flórida, EUA, quem mira o céu não está de olho em foguete, não, quer mais é ver pássaros! As pessoas vão de carro observar a vida selvagem, os pássaros e outros animais e fazem isso do conforto de seus automóveis. Tem muito a ver com a cultura do automóvel nos Estados Unidos, mas também é uma forma civilizada, confortável e segura de fazer observação de aves no meio da natureza, no conforto do carro. Nos Estados Unidos, mais de 47 milhões de pessoas observam aves. É um super negócio, que gera mais de 600 mil empregos e movimenta quase US$ 106 bilhões por ano, o triplo do que o Brasil vai gastar com o Ministério da Saúde em 2017. Feiras como uma que acontece em Titusville, na Flórida, reúnem os passarinheiros e quem fatura alto com eles. Peruanos, portugueses, colombianos, equatorianos, texanos, cada um tenta vender o seu pássaro. E tem brasileiros também, como o fotógrafo, editor e guia turístico especializado Edson Endrigo. Edson tenta atrair passarinheiros americanos para o Pantanal, a Amazônia, o Banhado do Taim. Ele ganha e a natureza, também. Cada passarinheiro é uma sentinela avançada da natureza. (Fonte: G1)

A morte de snooty, o peixe boi mais velho em cativeiro
Snooty, o peixe-boi mais velho do mundo em cativeiro, morreu neste domingo (23). O South Florida Museum, onde o mamífero marinho vivia, lamentou sua morte. No sábado (22), o local havia feito uma festa para celebrar seus 69 anos. “O South Florida Museum está profundamente triste de compartilhar essa notícia de que nosso amado Snooty morreu. Sua morte foi acidental a as circunstâncias estão sendo investigadas. Nós sabemos que nossa comunidade e os fãs de Snooty ao redor do mundo compartilham nossa dor. Manteremos vocês informados sobre os detalhes do funeral”, descrevia o comunicado compartilhado nas redes sociais do museu. Segundo o museu, oficialmente, Snooty completou 69 anos no dia 20 de julho. Snooty foi incluído na edição de 2017 do Guinness como o peixe-boi mais longevo conhecido. Ele nasceu em cativeiro e era totalmente dependente dos humanos, motivo pelo qual não poderia ser deixado livre na natureza. (Fonte: G1)

COMENTÁRIOS ()