Domingo, 19 de Novembro de 2017 |

Colunista


Cantinho Ecológico


Marco Aurélio


verdade@cpovo.net


Até breve

A coluna de hoje e as reflexões relacionas a ela com certeza ficarão marcadas em minha memória como um dos momentos mais importantes de minha vida profissional. Apesar de vários anos já terem se passado, parece que foi ontem que utilizei este nobre espaço para escrever minha primeira coluna de jornal, no ano de 2002. Na ocasião, palavras ainda tímidas e pouco rebuscadas insistiam em agradecer a oportunidade que a mim havia sido ofertada. Ficava claro, entretanto, que um longo caminho ainda teria que ser percorrido para que eu pudesse não só atingir os meus objetivos como também os de quem a mim confiou. Ao longo destes 15 anos, muito aprendizado, amadurecimento e experiência jornalística foram adquiridos. A escrita passou a fazer parte de meu cotidiano da mesma forma como a leitura de meus livros, as brincadeiras com minhas filhas e os bons jogos de futebol de meu tricolor.

Foram muitos momentos alegres, como o nascimento de minha filha Ana Clara, e outros nem tanto, como o falecimento de meu pai e dos grandes amigos Ney Oliveira, da SPH, e da inesquecível professora Arlete, da Escola Podalirio Barcellos. Todos os momentos contribuíram imensamente para que eu crescesse profissionalmente e, sobretudo, pessoalmente. Quero agradecer a cada leitor e a cada segundo dispensado comigo, por cada sorriso, por cada lágrima e principalmente por cada elogio feito. Deixarei este espaço com muito mais preparo e competência, na certeza de que esta despedida não significará um adeus, e sim apenas o ultrapassar de mais uma etapa profissional.

Saibam os amigos Hardo e Matheus Pfluck que os levarei no meu coração com uma gratidão enorme pela oportunidade e pela satisfação proporcionada. Que o sucesso continue ao lado de cada um de vocês e a felicidade seja uma companheira assídua, assim como foi minha, durante todo o período que trabalhei com vocês. Hoje, com lágrimas nos olhos me despeço de meus queridos amigos leitores com um “até breve”. Quero aqui ressaltar o meu compromisso de que estarei sempre à disposição deste jornal. E da mesma forma como costumeiramente escrevia em minha colunas, gostaria de citar neste momento algumas pessoas que se tornaram grandes referências em minha vida profissional, exemplos de luta, amizade, carinho e respeito.

Dedico minha história neste jornal aos amigos e a minha abençoada família. As minhas lindas filhas Brenda e Ana Clara, que fazem o meu dia a dia cada vez mais colorido. A minha amada mãe Dalila, que sempre será minha grande fonte de inspiração e de luz, fortalecendo meus caminhos e demonstrando a todo o momento o que significa amor incondicional. Ao meu eterno e saudoso pai, que mesmo tendo partido há mais de dez anos continua tão vivo dentro de mim. Ao meu querido irmão Dalmar e ao meu sobrinho Rodrigo, que já segue os passos de um grande defensor da natureza enchendo a todos de orgulho. E em especial a grande mulher guerreira e batalhadora Tatiani, que nos últimos 12 anos sempre incentivou e apoiou o meu trabalho, de forma incansável e solidária. Aos meus queridos pais emprestados Valério e Dorli Szelest, e finalmente aos meus grandes amigos Sandro Ribeiro, Silvia Silveira, Nicolle Pesoa, Selma Machado, Ivo Saldanha, Ligia Rochenback, Neuza Maria Karst Lopes, Olga Dirlei Nunes, Daiane Martins e Leandro, Michele e Patricia Nerich, Rosimeri Meirelles e Luiz Carlos de Oliveira Costa, Lutiane Nazário e Humberto Júnior, Agnaldo de Lima e Silva, Edson Oaigen, Jaqueline Librelotto, Marcelo Chagas, Marcelo Pilonetto, Luiz Rohde, Jussara Bitencourt e todos os amigos e colegas professores das escolas Podalirio Inácio de Barcellos e Frederico Dih, frutos de minha história nesta cidade. A todos vocês o meu reconhecimento e carinho.

COMENTÁRIOS ()