Sábado, 25 de Março de 2017 |

Colunista


Cantinho Ecológico


Marco Aurélio


verdade@cpovo.net


Estudo calcula benefícios de árvores urbanas

* Um estudo feito pelo Serviço Florestal dos EUA calculou em US$ 50 bilhões o benefício trazido ao país somente pelas áreas de mata localizadas dentro das cidades do país. Ao todo, essas árvores acumulam 708 milhões de toneladas de carbono. Por ano, essas áreas verdes são responsáveis por 21 milhões de toneladas de carbono que, caso contrário, iriam para a atmosfera e contribuiriam para a mudança climática. Economicamente, esse benefício é calculado em US$ 1,5 bilhão. A equipe liderada por Dave Nowak se baseou em dados sobre as árvores urbanas em 28 cidades de seis estados diferentes, além de números sobre a cobertura de árvores do país como um todo. Os resultados foram publicados pela revista científica “Environmental Pollution”. Segundo os pesquisadores, o estudo ajuda a mostrar para os moradores das cidades a importância de cuidar das áreas verdes de cada bairro. Os benefícios, eles afirmam, vão além da questão da absorção de carbono, pois essas matas fornecem um espaço agradável para a convivência e ajudam a amenizar local, por exemplo. O rápido crescimento urbano é mais um fator que chama a atenção para a importância desses espaços verdes. Em 1990, as cidades ocupavam 2,5% do território americano, número que subiu para 3,1% em 2000. (Fonte: G1)

Planta que brilha no escuro pode revolucionar a iluminação

* Depois da camisa masculina que dura até 100 dias sem precisar lavar, outro projeto registrado no site de financiamento coletivo Kickstarter vem causando admiração por suas intenções ecológicas radicais. Trata-se do Glowing Plant Project, que promete mudar a forma como utilizamos energia elétrica no dia a dia, ao criar uma planta que brilha no escuro. Em menos de duas semanas, o projeto já arrecadou 270 mil dólares de mais de 4 mil pessoas, sendo que o objetivo era apenas de 65 mil dólares. A arrecadação vai até dia 7 de junho. Por trás dessa empreitada está um time de biólogos e engenheiros que buscam identificar genes de bactérias bioluminescentes e usar a sequência de DNA para reprogramar e projetar novas sequências a serem implantadas em outras plantas, tornando-as capazes de brilhar no escuro. Quando os protótipos das plantas brilhantes forem criados, entretanto, há uma chance de que essa primeira leva não venha a brilhar tanto quanto as pessoas gostariam. A expectativa dos criadores - nesta fase inicial - é ter uma planta que você possa ver claramente no escuro, mas não a ponto de substituir lâmpadas. Talvez a parte mais interessante do projeto de plantas incandescentes seja explorar novas formas de iluminação sustentável e o que isso poderá significar para o futuro. E aí, você trocaria seu abajur por um exemplar da Glowing Plant? (Fonte: Exame.com)

Cães podem prever terremotos

* Os cachorros podem sentir a ocorrência iminente de um terremoto com até dias de antecedência. Pelo menos é o que pensa a agência sismológica de uma cidade chinesa que tem uma criação de cachorros em suas instalações, convencida de que esses animais podem prever os movimentos da Terra. A agência da cidade de Nanchang, capital da província oriental de Jiangxi, afirma que os cachorros “se comportam de maneira anormal antes da ocorrência de um terremoto, às vezes com 10 dias de antecipação”, segundo assegura um funcionário da municipalidade. A província de Sichuan (sudoeste) foi atingida em 20 de abril passado por um terremoto que matou 200 personas e deixou mais de 13.000 feridos. Cinco anos antes, um terremoto deixou 90.000 mortos e desaparecidos. (Fonte: G1)

COMENTÁRIOS ()