Sábado, 25 de Março de 2017 |

Colunista


Cantinho Ecológico


Marco Aurélio


verdade@cpovo.net


BOLA DE FOGO É REGISTRADA NOS CÉUS DO BRASIL NA TERÇA FEIRA

Uma bola de fogo pôde ser vista nos céus do País no final da noite de terça-feira. Segundo o professor Gustavo Rojas, da Universidade Federal de São Carlos, tudo indica que o objeto era um foguete chinês, lançado há seis dias para colocar em órbita um satélite e que queimou ao retornar à atmosfera. Segundo Rojas, a trajetória e o tempo de reentrada estavam previstos e coincidem, o que indica que realmente era o foguete chinês. “Todo foguete que é lançado em órbita, acaba caindo de volta na Terra. Ele é queimado na reentrada, isso é calculado”, diz o professor, que complementa que esse tipo de evento é considerado comum. O professor do Departamento de Astronomia da USP, Amaury de Almeida, explica o motivo da incandescência do material. “O detrito espacial viaja a milhares de quilômetros por segundo e, ao enfrentar a atmosfera mais densa da Terra, sofre com o atrito, que causa o aumento na temperatura e torna o material abrasivo”. Almeida conta ainda que uma forma de diferenciar pedaços de satélites e foguetes de meteoros é a coloração. Se esbranquiçado, a probabilidade maior é que se trata de lixo espacial. Meteoros apresentam cor mais escura. (Fonte: Terra)

“CULTIVO” DE ÓRGÃOS HUMANOS EM ANIMAIS PARA TRANSPLANTE

O governo japonês chamou um painel de especialistas para debater as normas que deverão reger uma série de pesquisas para tentar “cultivar” órgãos humanos em corpos de animais antes de fazer um transplante. Cientistas japoneses pedem que o transplante de uma célula-tronco humana em um embrião animal seja autorizado. O objetivo é criar um “embrião quimérico” no útero de uma porca e observar o desenvolvimento, ao longo do crescimento do animal, de um órgão humano funcional, como fígado ou rim. A equipe de especialistas, coordenada por Hiromitsu Nakauchi, da Universidade de Tóquio, quer o implante de um “embrião quimérico” no útero de uma porca seja autorizado. O embrião é formado por um óvulo de porca e uma célula-tronco pluripotente induzida (conhecida como célula IPS). Este tipo de célula se forma a partir de células adultas que induzidas a um estado quase embrionário para que logo tenham a capacidade de se diferenciar e dar lugar a todo tipo de tecido. “Os suínos têm órgãos parecidos com os dos seres humanos”, explicou Nakauchi. “Temos usado muito estes animais na medicina, razão pela qual já são considerados aceitáveis pelo corpo humano”, disse. (Fonte: UOL)

NORUEGA IMPORTA LIXO PARA PRODUZIR ENERGIA

Oslo é uma cidade que importa lixo. Parte vem da Inglaterra, parte vem da Irlanda e parte vem da vizinha Suécia. Ela inclusive tem planos para o mercado americano. Oslo, onde metade da cidade e a maioria das escolas são aquecidas pela queima do lixo – lixo doméstico, resíduos industriais e até resíduos tóxicos e perigosos de hospitais e apreensões de drogas, tem um problema: o lixo para queimar se esgotou. Em toda a Europa setentrional, onde a prática de queimar lixo para gerar calor e eletricidade disparou nas últimas décadas, a demanda por lixo é muito superior à oferta. A meticulosa população do norte europeu produz apenas cerca de 136 milhões de toneladas de resíduos por ano, muito pouco para abastecer usinas incineradoras capazes de consumir mais de 635 milhões de toneladas. “Mas os suecos continuam a construir [mais usinas], assim como a Áustria e a Alemanha”, disse Mikkelsen, 50, engenheiro mecânico que há um ano é o diretor-gerente da agência municipal encarregada da transformação de resíduos em energia. De navio e de caminhão, incontáveis toneladas de lixo viajam de regiões onde há excesso de resíduos para outras que têm capacidade para queimá-las e transformá-las em energia. A Noruega está entre os dez maiores exportadores mundiais de petróleo e gás e tem abundantes reservas de carvão e uma rede de mais de 1.100 usinas hidrelétricas em suas montanhas, ricas em água. Mikkelsen, no entanto,disse que a queima do lixo é “um jogo de energia renovável para reduzir o uso de combustíveis fósseis”. (Fonte: Folha.com)

COMENTÁRIOS ()