Sexta-Feira, 24 de Março de 2017 |

Colunista


Cantinho Ecológico


Marco Aurélio


verdade@cpovo.net


Principais florestas do planeta rumam para a extinção

Extremamente vulneráveis, as florestas estão perdendo a batalha. A cobertura verde, que já ocupou 46% da superfície terrestre, vem sumindo de forma gradativa - com maior velocidade nos últimos 50 anos. Atualmente, ocupa 31% do planeta, segundo o Relatório Estado das Florestas, publicado em 2010 pela Organização das Nações Unidas (ONU). O documento também revela que a taxa média líquida de perda de florestas está em 5,2 milhões de hectares por ano. Os dados levam a uma constatação óbvia: muitas florestas perderam áreas significativas e caminham para a extinção, enquanto outras aparecem apenas em registros literários. São justamente os livros que ajudam a entender esse desfecho. (Fonte: Terra)

Peta ataca indústria “fashion” com campanha brutal

Com o slogan “Quando você compra, você se torna culpado”, a Peta, organização que defende o tratamento ético aos animais, acusa o consumidor de ser cúmplice da matança em uma nova campanha contra uso de pele e couro de bichos exóticos na indústria da moda. Na nova investida, a Peta deixou de lado as beldades femininas que costumam estampar suas campanhas em poses provocativas, e partiu para uma abordagem, digamos, mais visceral. As imagens falam por si. Lado a lado, caçadores e consumidores aparecem retirando a pele e o couro de um jacaré, uma zebra e um urso, com uma expressão fria diante da cena brutal. “É uma verdade horrenda que as pessoas que compram casacos, bolsas ou sapatos feitos de peles exóticas tentam ignorar. Mas nossa nova série de anúncios provocativos, porém, vai forçá-las a fazer a ligação entre suas escolhas de consumo e o derramamento de sangue que está por trás delas”, diz a organização em seu blog. (Fonte: Exame.com)

Nova espécie de Dinossuaro Narigudo é descoberta nos EUA

Uma equipe de cientistas americanos descobriu uma nova e incomum espécie de dinossauro no deserto do Estado americano de Utah, na região do meio-oeste dos Estados Unidos. Com 5 metros de comprimento, o extinto animal, batizado de Nasutoceratops titusi é parte da família do triceratope, mas tem como características únicas a presença de um nariz enorme e chifres excepcionalmente grandes. O estudo dos cientistas foi publicado no periódico especializado Proceedings, da Sociedade Real de Ciências Biológicas. O fóssil foi descoberto em 2006, numa região desértica de Utah, mas os cientistas levaram anos para preparar e estudá-lo em detalhes. As rochas nas quais ele foi encontrado têm cerca de 75 milhões de anos, o que leva os especialistas a crer que ele teria vivido na Terra no período Cretáceo Tardio. Os chifres são, de longe, os maiores de qualquer membro de seu grupo de dinossauros - eles se curvam para os lados e para frente. Além disso, ele também tem o maior nariz de seu grupo, apresentando uma saliência atrás da cabeça. Além dessas características distintas, o nasutoceratops também era um animal forte, pesando até 2,5 toneladas, o que lhe dava uma aparência bastante intimadora. Mas apesar de assustar, este dinossauro, assim como todos os outros triceratopes, é herbívoro e estaria mais preocupado em buscar plantas em seus arredores pantanosos do que avançar sobre presas. O nasutoceratops é apenas uma de várias espécies de dinossauros descobertas nesta região da América do Norte. Acredita-se que o deserto onde ele foi encontrado teria sido parte de um continente chamado Laramídia, que já foi descrito como um “paraíso de fósseis”. Outras espécies vegetarianas, incluindo hadrossauros e outros dois tipos de dinossauros com chifres, foram encontradas perto do nasutoceratops, sugerindo que elas podiam conviver, apesar de competir pelo mesmo alimento. (Fonte: Folha.com)

COMENTÁRIOS ()