Terça-Feira, 19 de Setembro de 2017 |

Colunista


Cantinho Ecológico


Marco Aurélio


verdade@cpovo.net


CONFERÊNCIA NACIONAL INFANTOJUVENIL PELO MEIO AMBIENTE

* A Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente - CNIJMA é um instrumento voltado para o fortalecimento da cidadania ambiental nas escolas e comunidades a partir de uma educação crítica, participativa, democrática e transformadora. Ela se caracteriza como um processo dinâmico de encontros e diálogos, para debater temas propostos, deliberar coletivamente e escolher os representantes que levarão as ideias consensuadas para as etapas sucessivas. Envolver estudantes, professores, juventude e comunidade no enfrentamento do desafio de construir juntos uma sociedade brasileira educada e educando ambientalmente para a sustentabilidade: esta é a tarefa do Órgão Gestor da Política Nacional de Educação Ambiental, representado pela Diretoria de Educação Ambiental (DEA) do Ministério do Meio Ambiente (MMA) e pela Coordenação Geral de Educação Ambiental (CGEA) do Ministério da Educação (MEC).

CONFERÊNCIAS NAS ESCOLAS DE ALVORADA DEVERÃO SER REALIZADAS ATÉ O DIA 31 DE AGOSTO

* A Conferência na Escola é o momento em que estudantes, professores e demais interessados reúnem-se para dialogar sobre como transformar sua escola em um espaço educador sustentável, constituindo-se, assim, em um lócus privilegiado para aprofundar o debate sobre o tema da Conferência em nível local. Nesse momento, cada escola: construirá ou fortalecerá a Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida na Escola - COM-VIDA que deverá organizar a conferência envolvendo a comunidade com o Tema Vamos Cuidar do Brasil com Escolas Sustentáveis. A escola elaborará um projeto de ação, de acordo com os conhecimentos adquiridos no cotidiano escolar e nos materiais encaminhados para o processo da IV CNIJMA, a ser colocado em prática após o evento; criará um material de educomunicação para divulgar o projeto; elegerá um delegado ou delegada (e suplente); e compartilhará o resultado do trabalho coletivo com outras escolas e com a comunidade. As Conferências nas Escolas (obrigatórias) - deverão ser realizadas até 31 de agosto de 2013. Ficará a critério de cada escola a duração e a programação, desde que obedecidos os princípios e critérios estabelecidos no Passo a Passo para a Conferência de Meio Ambiente na Escola. O cadastramento dos resultados da Conferência na Escola no site da Conferência deve ser realizado até dia 07 de setembro de 2013. Os cadastramentos incompletos ou fora do prazo não serão considerados.

MULTA POR LIXO JOGADO NO CHÃO NÃO SERIA MÁ IDEIA EM ALVORADA

* No primeiro dia de ação efetiva do programa Lixo Zero (lei municipal 3273), que aplica multas para quem jogar lixo nas ruas do Rio de Janeiro, 110 pessoas foram multadas até as 17h no centro da capital fluminense, primeira zona onde as infrações estão sendo aplicadas, de acordo com a Comlurb, que gere o projeto junto com a PM e Guarda Municipal. A grande maioria por atirar guimbas de cigarro fora da lixeira, como explica o coordenador operacional da empresa municipal, Fernando Alves Pinto. Para este caso, o infrator terá que pagar multa de R$ 157 – para resíduos maiores que uma lata e menores que um metro cúbico, o valor é de R$ 392. Acima disso, R$ 980. No caso de entulhos, a penalidade pode chegar até a R$ 3 mil. A Guarda Municipal utiliza um palmtop para aplicar as multas. Basta o número do CPF para que a multa seja registrada. Se o cidadão se recusar a dar o CPF, será levado pela PM até a delegacia mais próxima como já acontece com quem é flagrado fazendo xixi na rua. Quem for multado tem o direito de recorrer. Se ainda assim for considerado culpado e decidir não pagar a multa, terá o título protestado pela prefeitura. Ou seja, poderá ter dificuldades para pedir empréstimos ou fazer compras parceladas no varejo. Por ano, a varrição de ruas e a limpeza das praias no Rio de Janeiro custam R$ 16,5 milhões.

COMENTÁRIOS ()