Sábado, 25 de Março de 2017 |

Colunista


Cantinho Ecológico


Marco Aurélio


verdade@cpovo.net

(Foto: )


MONTANHA DE LIXO APÓS RÉVEILLON

* Depois da festa de Réveillon que concentrou 2,3 milhões de pessoas em Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro, o trabalho para deixar a areia limpa foi árduo. Segundo a Comlurb, 368,2 toneladas de lixo foram recolhidas da Praia de Copacabana nesta quarta-feira (1°). Ontem, banhistas de Copacabana comentavam que a água do mar estava limpa, sem sacos plásticos, flores ou latas de bebida que pudessem deixar desagradável o mergulho. A limpeza da praia envolveu 1.150 garis e terminou às 9h. Segundo o presidente da Comlurb Vinícius Roriz, a quantidade de lixo recolhido foi menor que em 2013. “Este ano está mais difícil, porque a gente limpa e logo alguém suja novamente, e o trabalho não dá vazão”, disse um dos garis da equipe da praia que preferiu não se identificar. Havia ainda muitos cacos de vidro na areia, o que oferecia risco aos banhistas, principalmente às crianças. No entanto, algumas pessoas ajudavam os garis na limpeza, levando a eles os cacos que encontravam. Situação muito similar acontece nas praias do Rio Grande do Sul.

PRODUÇÃO DE LIXO AUMENTA MAIS DE 500% NO VERÃO EM TRAMANDAÍ

* Quem sai nas primeiras horas do dia em Tramandaí, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul, precisa dividir a praia com grandes quantidades de lixo nas ruas da cidade. O volume diário produzido durante a época de veraneio é 514% maior do que a quantidade de lixo que é recolhida diariamente durante o restante do ano, como nos mostrou a reportagem do Bom Dia Rio Grande, da RBS TV. São recolhidos por dia em Tramandaí cerca de 35 toneladas de lixo. Porém, durante o verão, este número sobe para 180 toneladas, quantidade que vem dificultando a logística da prefeitura no que diz respeito à coleta de detritos. Esta situação de lixo amontoado nas ruas não acontece somente nas áreas centrais das cidades aqui do Litoral Norte. Nos bairros e na beira da praia também há resíduos espalhados. Segundo o secretário de Meio Ambiente de Tramandaí, Milton Haak, um dos motivos para o acúmulo de lixo na cidade é o aumento da população durante as festas de fim de ano. “A gente tem que avaliar que temos uma cidade de 42 mil habitantes, e que em um curto espaço de tempo estamos aqui com 200 ou ate 300 mil pessoas. É evidente que alguns serviços vão entrar em colapso sendo difícil executá-los. Na praia não podemos recolher lixo o dia inteiro. As pessoas estão na praia, temos que recolher durante a madrugada", completa. * Em Capão da Canoa a cena é semelhante. Amontoados de lixo dividem espaço com os pedestres que transitam pelas calçadas do município. Nesta época do ano são recolhidas mais de 150 toneladas de lixo por dia.

COMENTÁRIOS ()