Sexta-Feira, 26 de Maio de 2017 |

Colunista


Cantinho Ecológico


Marco Aurélio


verdade@cpovo.net


ZEBRA COM JUMENTO

* Um filhote híbrido de um jumento com uma zebra fêmea nasceu há uma semana no zoológico de Reynosa, no México. O animal que está sendo chamado pelos mexicanos de “zebrasno” tem 70 centímetros de altura e pesa 30 kg. Ele foi batizado com o nome de Khumba. O animal nasceu da união da mãe Rayas, a única zebra do zoológico, com Ignácio, um jumento albino que circula em áreas comuns a outros animais. Khumba tem orelhas de jumento e as patas listradas, como da mãe zebra. No ano passado, outro filhote híbrido de zebra e jumento nasceu em uma propriedade rural de Florença, na Itália.

MACACOS APRENDEM MATEMÁTICA E COMPARAM NÚMEROS

* Em quatro meses, macacos provaram ser capazes de somar dois números de um dígito e comparar o resultado a outro valor - embora nem sempre com precisão. O processo de aprendizagem dos macacos, e também os eventuais erros que eles cometem ao calcular, podem revelar mais sobre o comportamento do cérebro humano em relação à matemática. Já era conhecida a capacidade dos macacos de reconhecer números e somar valores de dois algarismos. O novo experimento propôs um desafio adicional - comparar o resultado de uma soma a um valor inteiro - e assim revelou mais sobre o mecanismo de cálculo no cérebro dos mamíferos. A pesquisa mostrou que é muito improvável que haja algum tipo de codificação logarítmica dos números, como se acreditava, disse o psicólogo David Burr, da Universidade de Florença, na Itália, ao comentar os resultados da pesquisa em Harvard. Novas pesquisas a respeito de como humanos e macacos estimam o valor dos números devem ajudar os cientistas a entender a discalculia, dificuldade que algumas crianças enfrentam para somar e estimar a quantidade de objetos em um grupo. “A habilidade de estimar com precisão tem um óbvio valor evolutivo; é importante saber quantos leões se aproximam para atacá-lo. O objetivo agora é desenvolver um modelo que explique como isso funciona no cérebro”, afirma Burr. (Fonte: UOL)

PRISÃO PARA QUEM COMER CARNE DE ANIMAIS RAROS NA CHINA

* O Legislativo chinês aprovou nesta quinta-feira (24) uma medida legal que prevê pena de prisão para as pessoas que forem flagradas comendo carne de animais raros, informou a imprensa oficial. Segundo a agência de notícias oficial Xinhua, o governo da China considera 420 espécies de animais selvagens raros ou ameaçados de extinção. Os animais incluem pandas gigantes, macacos dourados, ursos negros asiáticos e pangolins, acrescentou. De acordo com a interpretação legal aprovada nesta quinta, as pessoas que comem a carne dos animais na lista ou os compram para outros propósitos serão considerados violadores da lei criminal. Dependendo do crime, os violadores poderão ser condenados a até dez anos de prisão, prosseguiu. A matança de animais de espécies ameaçadas e o uso de partes de seus corpos – como chifres de rinocerontes e barbatanas de tubarão – na medicina tradicional e como iguarias foi apontada como uma ameaça global. A demanda dos cada vez mais ricos consumidores asiáticos tem sido culpada por ajudar a alimentar o comércio. A nova interpretação da lei chinesa esclarece o papel das pessoas que compram ilegalmente animais caçados, acrescentou o relatório. “Ela determina que comprar sabidamente animais selvagens originários de caça ilegal é passível de penas de no máximo três anos de prisão”, acrescentou a Xinhua. De fato, os compradores são um grande motivador para a caça ilegal em larga escala. (Fonte: G1)

COMENTÁRIOS ()