Quinta-Feira, 19 de Outubro de 2017 |

Colunista


Cantinho Ecológico


Marco Aurélio


verdade@cpovo.net


COPA SERÁ RESPONSÁVEL POR 1,4 MILHÓES DE TONELADAS DE CO2
* A Copa do Mundo será responsável pela emissão de 1,4 milhões de toneladas de dióxido de carbono (CO2), uma das principais causas do efeito estufa, segundo cálculos oficiais divulgados nesta terça-feira (27). As emissões serão produzidas pelo número elevado de aviões e automóveis em circulação, pelo aumento dos gastos energéticos e outros fatores diversos, explicou em entrevista coletiva a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. A ministra detalhou, no entanto, que todas essas emissões já foram compensadas no mercado de créditos de carbono, um mecanismo previsto no Protocolo de Kioto para minimizar as causas do efeito estufa e do aquecimento global. É com esse mecanismo que países industrializados e empresas financiam projetos para reduzir as emissões de poluentes nos países mais pobres, em troca de créditos que são utilizados para cumprir suas próprias metas ambientais. Dessa forma, Izabella garantiu que a Copa “está 100% mitigada das emissões diretas”, e acrescentou que esta é a primeira vez que essa meta é alcançada em competições organizadas pela Fifa. As ações favoráveis à preservação do meio ambiente durante o Mundial serão complementadas com o “Passaporte Verde”, uma iniciativa apresentada pelo governo no ano passado no Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA). Trata-se de um programa que tem como objetivo mostrar aos turistas que eles também podem contribuir durante suas viagens para a conservação do meio ambiente e para melhorar a qualidade de vida das pessoas nos lugares visitados. Nesse sentido, os turistas que vêm para o Mundial receberão informações sobre formas de consumo sustentável e regras de respeito à natureza, às tradições e aos valores socioculturais. Os turistas que forem aos jogos também serão orientados pelos voluntários do evento a cuidar da separação de resíduos, um projeto que contará com a participação de diversas cooperativas de reciclagem. (Fonte: Terra)

PARQUES NACIONAIS RECEBEM R$ 10,4 MILHÕES PARA OBRAS VISANDO ATRAIR TURISTAS NA COPA
* O governo federal destinou R$ 10,4 milhões para obras emergenciais em 16 Parques Nacionais, que vão receber um público maior a partir da Copa do Mundo. Entre os contemplados estão o Parque Nacional da Tijuca, no Rio de Janeiro; o Arquipélago de Fernando de Noronha, em Pernambuco; o Parque Nacional do Iguaçu, no Paraná; a Chapada dos Guimarães, em Mato Grosso; e a Chapada dos Veadeiros, em Goiás. “O grande retorno é aumentar a competitividade do turismo brasileiro. Nesse primeiro momento, é um banho de loja, uma tentativa de dar mais conforto ao turista. Tivemos quase sete milhões de visitantes nos Parques Nacionais. Para a chefe da pasta do meio ambiente, a parceria com o Ministério do Turismo representa um passo importante na consolidação dessas unidades de conservação, ainda pouco conhecidas da maioria dos brasileiros do ponto de vista turístico. "No Parque Nacional de Brasília, por exemplo, as pessoas só conhecem a parte das piscinas da Água Mineral, mas o parque tem potencial para muito mais com suas trilhas”, disse Izabella Teixeira. O Parque Nacional de Brasília, com cerca de 40 mil hectares, recebe 300 mil visitantes por ano. A unidade tem capacidade para receber até três mil pessoas por dia. Com os investimentos previstos, a ideia é aumentar a visitação para até 400 mil pessoas por ano.

COPA VERDE
* A questão ambiental foi fundamental na escolha do Brasil como sede da Copa do Mundo de 2014. A expectativa do mundo inteiro é que nosso país realize uma Copa Verde. No Rio Grande do Sul, a Secretaria Estadual do Meio Ambiente é a responsável por coordenar a Câmara Temática Regional de Meio Ambiente e Sustentabilidade para a Copa 2014. A Câmara é dividida em cinco núcleos temáticos e já realizou diversas reuniões e seminários, visando a um desenvolvimento sustentável do Rio Grande do Sul.

COMENTÁRIOS ()