Sexta-Feira, 24 de Março de 2017 |

Colunista


Cantinho Ecológico


Marco Aurélio


verdade@cpovo.net

(Foto: )


2013
Em minha última coluna, na semana passada, finalizei o relato histórico ambiental de nosso País no ano de 2012. A boa notícia de 2013 foi divulgada pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). Segundo a agência da ONU, desde 1990, o Brasil reduziu em 53% a proporção de pessoas que passam fome em seu território. Apesar da conquista, cerca de 7% da população brasileira ainda passa fome, o que representa 13 milhões de cidadãos. Em agosto, Carlos Klink, secretário nacional de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental, garantiu que, antes do prazo, o Brasil atingiria meta para reduzir em 84% o desmatamento, que ainda é a principal fonte das emissões de gases do efeito estufa do país. O clima foi um dos assuntos que mais “bombou” em 2013. Com tantas informações novas a respeito das mudanças climáticas, a COP19 do Clima, que aconteceu no fim de novembro, na Polônia, poderia ter dado um desfecho excelente para o ano de 2013, mas não foi o que aconteceu. A Conferência da ONU foi “morna”.

UM TRIBUTO A RUBEM ALVES
A educação no Brasil está de luto... Perdemos uma de nossas maiores riquezas no último dia 19 de julho. Nosso querido e inesquecível mestre e educador Ruben Alves nos deixou... Foi uma semana muito difícil e muito triste para todos aqueles que o admiravam como eu... Seus livros, seus ensinamentos, suas lindas e emocionantes histórias... Estarão para sempre em nossas memórias. Internado desde o último dia 10 com pneumonia, no Hospital Centro Médico de Campinas, no interior paulista, morreu no último sábado o escritor e educador Rubem Alves. Rubem Alves nasceu em Boa Esperança, no sul de Minas Gerais, no dia 15 de setembro de 1933, e morava em Campinas, onde mantinha um instituto para promover a inserção social por meio da educação. O Instituto Rubem Alves também dá assistência a educadores. Além de escritor e pedagogo, Rubem Alves era poeta, filósofo, cronista, contador de histórias, ensaísta, teólogo, psicanalista, acadêmico e autor de livros para crianças. É considerado uma das principais referências no pensamento sobre educação e tem uma bibliografia que conta com mais de 160 títulos distribuídos em 12 países. Entre os trechos de seus livros, gostaria de recordar um muito especial: “Para isto caminhamos a vida inteira: para chegar ao lugar de onde partimos. E, quando chegamos, é a surpresa. É como se nunca o tivéssemos visto. Agora, ao final de nossas andanças, nossos olhos são outros, olhos de velhice, de saudade.”
negritonegrito

COMENTÁRIOS ()