Terça-Feira, 23 de Maio de 2017 |

Colunista


Cantinho Ecológico


Marco Aurélio


verdade@cpovo.net

(Foto: )


China e EUA anunciam acordo histórico contra o aquecimento

China e Estados Unidos, os dois maiores emissores de gases que provocam o efeito estufa, estabeleceram nesta quarta-feira (12), em Pequim, novos objetivos de redução da poluição, um ano antes da conferência do clima de Paris, onde os países devem assinar um acordo global. A Casa Branca anunciou que a China, o principal emissor mundial (com 29%), fixou a meta de alcançar um teto nas emissões “por volta de 2030″, com a intenção de “tentar atingi-lo um pouco antes”. Esta é a primeira vez que a China se compromete a estabelecer uma data para o teto, que a partir de então deverá ser reduzido de maneira progressiva. O governo dos Estados Unidos se comprometeu a reduzir entre 26% e 28% as emissões até 2025, na comparação com os níveis de 2005. Em uma declaração à imprensa após o encontro em Pequim com o presidente chinês Xi Jinping, o presidente americano Barack Obama aplaudiu um “acordo histórico” sobre o clima. Xi Jinping afirmou que seu país e os Estados Unidos estão decididos a alcançar um acordo na reunião de cúpula do clima de Paris, prevista para o fim de 2015. A ambição da reunião do próximo ano é obter um acordo mundial suficientemente ambicioso para limitar o aquecimento global a 2°C. A comunidade internacional estabeleceu a meta para evitar problemas em grande escala no clima, o que significaria uma redução dos recursos, conflitos, a elevação do nível dos oceanos e a extinção de espécies, entre outros efeitos nocivos. Mas o tempo é cada vez mais curto, já que segundo os cientistas as medidas adotadas pelos países são insuficientes para limitar a dois graus o aumento da temperatura global.

Elefantes brancos raros são fotografados em Mianmar
Uma cena diferente foi flagrada por fotógrafos em Mianmar: cinco elefantes raros brancos, capturados na natureza e levados para a capital Naypyitaw, parecem se divertir com um filhote preto dentro de um lago na cidade. As informações são do Daily Mail. Segundo a publicação, tais animais fotografados foram capturados em Mianmar, entre 2001 e 2010, e agora vivem na capital. Este elefante preto parece crescer entre os elefantes brancos, considerados como “sinais sagrados” de boa fortuna, paz e riqueza na Birmânia, país predominantemente budista. Os elefantes brancos têm sido reverenciados por séculos em países da Ásia, como Mianmar, Tailândia e Laos. Historicamente, os elefantes brancos foram mantidos pelos monarcas e considerado um símbolo do poder real e da prosperidade. Muitos na Birmânia ainda acreditam que eles só aparecem em locais onde a prática do budismo floresce e governantes atuam com justiça. (Fonte: Terra)

COMENTÁRIOS ()