Segunda-Feira, 16 de Outubro de 2017 |

Colunista


Cantinho Ecológico


Marco Aurélio


verdade@cpovo.net

(Foto: )


E as luzes continuam acesas...

No dia 08 de agosto deste ano, o Jornal A Semana vinculou uma reportagem intitulada “O Bairro Sumaré pede socorro”, onde diversos moradores solicitavam o auxílio da Prefeitura para tentar resolver o problema relacionado a existência de diversas lâmpadas acesas nos postes da Rua Porto Rico durante as 24 horas do dia. Pois bem, o problema continua abaixo da Avenida Itararé... E a pergunta que ainda não tem resposta é por que o sistema não percebe ou se importa com tamanho gasto energético num momento onde o mundo clama por atitudes sustentáveis?


Desmatamento da Amazônia diminui 18%.

Enfim uma boa notícia ambiental para se comemorar em 2014. Porém com muita cautela. O desmatamento da Amazônia brasileira teria caído 18% em um ano, atingindo a segunda menor cifra da história. O número do período 2013-2014 foi divulgado a cinco dias do início da Conferência Mundial sobre Mudanças Climáticas, em Lima. Segundo a ministra Izabella Teixeira, todo o resto é mera especulação. A mesma afirma que se trabalhou duro para acabar com o desmatamento, em um momento que outras informações apontam para um aumento desse número.

Segundo os dados fornecidos pelo site Ambiente Brasil, o desmatamento na maior floresta tropical do planeta alcançou seu menor nível histórico no período 2011-2012, quando chegou a 4.571 km2. Apesar disso, aumentou no período 2012-2013, quando chegou a 5.891 km2 (+29%). A medição foi feita em parte da floresta situada em nove estados do território brasileiro, em períodos que abrangem de agosto de 2013 até julho deste ano. Foi realizada através do sistema PRODES de imagens de satélite, a cargo do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), que capta o desmatamento por corte raso, ou seja, a remoção completa da cobertura florestal, e que mostra manchas marrons ou avermelhadas em meio aos imensos espaços verdes da floresta.

COMENTÁRIOS ()