Domingo, 17 de Dezembro de 2017 |

Colunista


Cantinho Ecológico


Marco Aurélio


verdade@cpovo.net

(Foto: )


Independente das discussões que abordam o desenvolvimento científico e tecnológico, é fato que a ciência aplicada tem progredido de forma acelerada no mundo contemporâneo e desta forma tem sido bastante difícil resistir ao seu avanço. Presente até mesmo nos aspectos mais singulares de nosso cotidiano, os impactos da tecnologia já podem ser sentidos nos mais diversos ambientes do desenvolvimento humano, e em especial na educação. O fato de vivermos em uma sociedade resiliente em sua essência, faz com que possamos acreditar que a mesma possa recepcionar de forma acolhedora quase todas as produções e descobertas científicas. Vale destacar que a própria sociedade busca constantemente respostas e soluções advindas da ciência, para tentar equalizar os problemas surgidos nas últimas décadas. Este tem sido um caminho significativo na busca da Educação para o Desenvolvimento Sustentável. Gráficos, filmes, modelos, áudio e outras tecnologias tridimensionais já fazem parte de nosso cotidiano, mas agora chegou a vez das impressoras 3D, equipamentos que permitem a impressão de praticamente qualquer coisa, desde brinquedos e bonecos até partes de equipamentos industriais, tudo em apenas algumas horas.
No que diz respeito a estes novos aparelhos, a “impressão” não se refere apenas a uma imagem que pode ser visualizada em três dimensões no papel, mas sim a um objeto realmente construído em 3D, como engrenagens, bonecos de brinquedo, capas para celulares ou até mesmo uma motocicleta em tamanho real. Mesmo que muitas vezes estas réplicas não sejam funcionais, como no caso da moto, moldes perfeitos em polímero ou gesso do produto final são produzidos.

Como funciona
Se antes era necessário primeiro desenhar um produto por meio de várias perspectivas, depois projetá-lo em três dimensões para somente então repassá-lo a um artesão especializado, que seria incumbido da tarefa de produzir o primeiro molde (por preços muito elevados), hoje só é necessário projetar o modelo por meio de um aplicativo que lide com objetos 3D e mandá-lo direto para a impressão. Sem complicações, revisões ou impedimentos.

COMENTÁRIOS ()