Domingo, 19 de Novembro de 2017 |

Colunista


Cantinho Ecológico


Marco Aurélio


verdade@cpovo.net


Até o Papa entrou na luta contra as mudanças climáticas

O papa Francisco defendeu na quarta-feira (23) a agenda para conter as mudanças climáticas no planeta na primeira atividade política nos Estados Unidos. Ele fez um rápido discurso nos jardins da Casa Branca ao lado do presidente Barack Obama, acompanhado por milhares de pessoas. “Temos que aceitar a urgência de iniciativas para conter as mudanças climáticas e esse é um problema que não pode ser deixado para as gerações futuras. Nós estamos vivendo um momento crítico da história”, disse. Francisco elogiou a iniciativa de Obama de ter proposto a queda na emissão de carbono no país, em um momento que a Casa Branca enfrenta dificuldades para aprovar no Congresso um plano para reduzir em 32% a emissão de gás carbono pelas centrais termoelétricas até 2030. Parte da bancada de deputados e senadores é contrária argumentando que o custo econômico será muito alto. O presidente Obama, por sua vez, deu boas-vindas ao papa. Ele brincou que o jardim não é sempre tão concorrido. “Isso é só um pequeno reflexo dos 70 milhões de católicos norte-americanos”, afirmou. Obama agradeceu o apoio do papa sobre as questões climáticas, e disse: “Santo Papa, você está aqui para nos lembrar que temos a sagrada obrigação de proteger o nosso planeta”. (Fonte: Agência Brasil)


Indígenas brasileiros são premiados pela ONU por proteção ao meio ambiente

Várias comunidades indígenas da América Latina figuram entre os ganhadores do prêmio Equator 2015, segundo anunciou nesta segunda-feira (21) a ONU, que distingue com este prêmio iniciativas cidadãs para reduzir a pobreza, proteger o meio ambiente e conter os efeitos da mudança climática. Entre os ganhadores figuram grupos da Colômbia, Bolívia, Brasil, Belize e Honduras, que receberão um prêmio de US$ 10 mil e que poderão enviar representantes a uma reunião comunitária que será realizada durante a cúpula sobre mudança climática de Paris em dezembro. “Os ganhadores deste prêmio são um pequeno grupo de projetos e iniciativas inspiradoras ao redor do mundo. São um pequeno exemplo da grande quantidade de iniciativas que estão dando certo”, disse em entrevista coletiva o responsável de Mudança Climática das Nações Unidas, Christiana Figueres. No anúncio dos 21 premiados participou também, entre outros, o ator americano Alec Baldwin, que colabora habitualmente com a ONU em distintas iniciativas. Os dois premiados do Brasil são o Instituto Raoni, uma organização fundada pelo povo indígena Kayapó que protegeu 2,5 milhões de hectares de floresta utilizando inovadoras campanhas. Junto a ele, foi agraciado o Movimento Ipereg Ayu do povo Munduruku que bloqueou a construção de uma represa que teria submergido seus territórios. Entre os ganhadores, 21 no total, figuram também iniciativas em países como China, Afeganistão, República Democrática do Congo e Indonésia. (Fonte: Terra)

COMENTÁRIOS ()