Terça-Feira, 23 de Maio de 2017 |

Colunista


Cantinho Ecológico


Marco Aurélio


verdade@cpovo.net

(Foto: )


* Um imenso planalto que de repente despenca quase 1.000m até a Serra do Mar. A parede vertical que forma esse imenso abismo é tão perfeita que parece ter sido aparada com uma faca, daí a origem do nome do Parque. Seus cânions com mais de 700 m de profundidade impressionam qualquer viajante e compõem uma paisagem muito peculiar e impressionante. Os dois principais cânions do Parque são os do Faxinalzinho e Itaimbezinho. Além de ser privilegiada pela natureza, a região conta com um certo misticismo, a começar pelos relógios e bússolas, que nessa região funcionam irregularmente, sem qualquer explicação científica plausível. É bastante comum ser convidado para ouvir os moradores contando lendas da região. Um passeio inesquecível.

* Há uma forte influência da ocupação européia nessa região, principalmente de alemães e italianos. Conservam as construções e as atividades campestres trazidas dos países de origem. Atualmente, o plantio de florestas produtivas vem ganhando cada vez mais espaço na economia da serra gaúcha. O turismo compõe uma das atividades econômicas da região.

* Entre os meses de maio e agosto a visibilidade é melhor e o céu está mais azul. No verão (entre dezembro e março) os banhos são mais agradáveis, apesar de ser uma época de muita cerração. Evite o mês de setembro, quando chove muito e a visibilidade é péssima.

* A região é composta por três principais formações vegetais. A Mata Atlântica, na encosta leste da serra, formada por palmiteiros, perobas e baguaçus; a Mata de Araucárias, que está presente nos planaltos e finalmente os campos de gramínea, compostos por vegetação baixa ideal para a criação de gado. As inúmeras espécies de pássaros (mais de 150) deixam os cânions muito mais bonitos. Os cânions de Aparados da Serra são o resultado de um derrame de lavas mesozóicas há aproximadamente 130 milhões de anos. São compostos por rocha basáltica e dividem o planalto gaúcho da planície catarinense.

* Há uma lanchonete no Parque. Lembre-se que para as caminhadas é bom levar um lanche dependendo da duração do passeio. Os restaurantes estão todos concentrados em Cambará do Sul.

* As acomodações são bem rústicas e há poucas pousadas na região. Muitas delas dispõem apenas de banheiro coletivo. Dentro do Parque há áreas para camping. Central de Reservas do Refúgio Ecológico Pedra Afiada: Telefone (51) 33383323. Faça sua reserva com antecedência. A presença de um guia é indispensável.

Atrações

* Trilha do Cotovelo: Esse passeio, um pouco mais longo 6 quilômetros, passa pelo Arroio Perdizes, de onde pode-se observar a Cachoeira Véu da Noiva e todo o cânion do Itaimbezinho.

* Trilha do Rio do Boi: Essa trilha é recomendada para os mais experientes. São sete horas de caminhada, partindo do vale do Itaimbezinho e tendo como objetivo alcançar a superfície. Em alguns trechos é preciso ter algum conhecimento de técnica de escalada, em outros, atravessa-se rios com água pela cintura. Uma verdadeira aventura.

* Trilha do Vértice: Esta trilha, que tem um percurso de 1,5 quilômetro (ida e volta), circunda toda a boca do cânion. São, aproximadamente, duas horas de caminhada, mas o visual é gratificante durante todo o caminho. (http://webventure.estadao.com.br)

COMENTÁRIOS ()