Segunda-Feira, 27 de Março de 2017 |

Colunista


Cantinho Ecológico


Marco Aurélio


verdade@cpovo.net


Números sobre a reciclagem
Gostaria de dedicar o espaço desta coluna de hoje para abordarmos alguns dados e dicas relevantes sobre a reciclagem, processo industrial de suma importância na luta contra a degradação ambiental de nosso planeta. Nossa cidade sofre diariamente - como a maioria dos municípios brasileiros - com o descarte inadequado de resíduos sólidos no ambiente em que vivemos. A quantidade de papel que uma pessoa de um país desenvolvido joga fora por ano equivale à quantidade produzida por duas árvores derrubadas (cada tonelada de papel reciclado equivale a cerca de vinte árvores que deixaram de ser derrubadas). Lembrando que o papel é fabricado principalmente com a celulose extraída de árvores. O papel e o papelão são os materiais mais coletados e reciclados. O Brasil é o campeão em reciclagem nesse item: 80% do papel é reciclado. O processo de reciclagem do papel gasta menos energia do que a produção de papel com a celulose de árvores. Em cada reciclagem o papel perde celulose, que precisa ser reposta em certa quantidade (e, nesse caso, é obtida das plantas). Mesmo assim, o processo como um todo poupa árvores e também energia. Da mesma forma, ao reciclar alumínio e vidro, é possível diminuir o consumo de minerais e economizar energia. O Brasil ocupa o primeiro lugar em reciclagem de alumínio: 98% das latas de bebida feitas de alumínio são recicladas. A produção de vidro reciclado economiza 75% de energia em relação à produção de vidro não reciclado, enquanto a produção de metal reciclado economiza 85%.

A reciclagem oferece outras vantagens
A reciclagem oferece outras vantagens para o ser humano e consequentemente para o nosso planeta. Evita a poluição do solo e da água com produtos tóxicos, gera trabalho formal e informal para muita gente nas usinas de reciclagem, na coleta de materiais, etc e diminui o volume do lixo que vai para os aterros sanitários e os lixões, o que é muito bom, porque nas cidades há cada vez menos espaços livres. Os lixões e aterros já instalados estão ficando sobrecarregados, e isso aumenta o risco de poluição do ambiente e de contaminação das pessoas. Alguns supermercados do país oferecem cupons em troca de latas ou garrafas PET coletadas; com esses cupons, as pessoas podem comprar mercadorias. E algumas empresas de reciclagem trocam materiais recicláveis coletados em escolas, hospitais e outras instituições por material escolar e até por computadores. Mesmo que na sua rua ou no seu bairro não tenha coleta seletiva, separe o lixo em diferentes recipientes: os recicláveis (papeis, plásticos, vidros e metais) e os não recicláveis (restos de comida). É importante que todos estejam conscientes de que a reciclagem não é suficiente para resolver o problema do lixo: é preciso também reduzir o consumo e evitar o desperdício.

COMENTÁRIOS ()