Terça-Feira, 25 de Abril de 2017 |

Colunista


Cantinho Ecológico


Marco Aurélio


verdade@cpovo.net


H1N1 JÁ LEVOU A 102 MORTES ESTE ANO NO BRASIL, DIZ MINISTÉRIO DA SAÚDE
O Ministério da Saúde anunciou, nesta segunda-feira (11), que o número de mortes por H1N1 subiu para 102 até o dia 2 de abril. Foram 31 mortes desde o boletim anterior divulgado pela pasta, referente aos casos até 26 de março. Ao todo, foram registrados 686 casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) por H1N1 até 2 de abril. Foram 242 novos casos de SRAG, que é uma complicação da gripe, desde o boletim anterior. Também houve 13 mortes e 168 casos de SRAG por outros vírus da gripe ao longo do ano, ainda segundo o boletim do ministério da saúde. Do total, 70 mortes ocorreram no estado de São Paulo. Outros estados com mortes por H1N1 foram Goiás (6), Santa Catarina (5), Bahia (3), Pará (2), Ceará (2), Rio Grande do Norte (2), Minas Gerais (2), Rio de Janeiro (2), Rio Grande do Sul (2), Mato Grosso do Sul (2), Amapá (1), Mato Grosso (1) e Distrito Federal (1). Vírus chegou antes do esperado – Este ano, houve uma antecipação da temporada de gripe no Brasil. O esperado para seria ter o pico de casos no mês de julho, mas o país vem registrando casos desde o início do ano. Especialistas discutem várias hipóteses que podem explicar a antecipação da chegada do vírus, que vão desde fatores climáticos até o aumento de viagens internacionais que podem ter trazido o H1N1 que circulava no hemisfério norte. (Fonte: G1)

VÍRUS DA GRIPE VIVE ATÉ DOIS DIAS FORA DO CORPO E MINUTOS NA PELE
A maioria das pessoas sabe que vírus da gripe e do resfriado podem contaminar maçanetas de porta, torneiras e outras superfícies. Mas por quanto tempo?

Estudos mostraram que o tempo de sobrevivência para ambos os tipos de vírus varia bastante, de alguns segundos a 48 horas. As razões estão relacionadas a vários fatores, incluindo o tipo de superfície, umidade e temperatura. Por exemplo, vírus da gripe e do resfriado sobrevivem mais tempo em superfícies inanimadas não-porosas, como metal, plástico e madeira, e menos em superfícies porosas, como roupas, papel e tecido. A maioria dos vírus causadores da gripe consegue viver de um a dois dias em superfícies não-porosas, e de 8 a 12 horas em superfícies porosas. Porém, um estudo de 2006 descobriu que a gripe aviária parecia particularmente durona, sobrevivendo até seis dias em algumas superfícies. Vírus do resfriado, no entanto, se deterioram rapidamente. Um estudo de 2007 descobriu que, quando objetos de um quarto de hotel – interruptores, telefones – foram contaminados com um vírus da gripe, 60% dos voluntários saudáveis pegaram o vírus quando tocaram em um dos objetos uma hora mais tarde. Dezoito horas depois, o índice de transmissão caiu pela metade.

Na pele, os vírus da gripe e do resfriado geralmente duram menos de alguns minutos, mas isso pode ser o suficiente para a transmissão: estudos mostram que a maioria das pessoas toca suas mãos ou boca várias vezes durante suas atividades diárias – o suficiente para causar uma infecção. (Fonte: Folha Online)

COMENTÁRIOS ()