Quarta-Feira, 18 de Outubro de 2017 |

Colunista


Cantinho Ecológico


Marco Aurélio


verdade@cpovo.net


BIOCOMBUSTÍVEL - O COMBUSTÍVEL VERDE
O biocombustível é definido como sendo sólido, líquido ou gasoso, obtido de material biológico morto recentemente. Essa definição o distingue do combustível fóssil, que é obtido de material biológico já morto há muito tempo. Via de regra, os biocombustíveis podem ser produzidos a partir de qualquer fonte biológica de carbono, sendo a mais comum a das plantas. Os biocombustíveis são geralmente usados para propulsão de veículos, aquecimento de casas e secagem de grãos. As indústrias desse combustível expandem-se rapidamente na Europa, Ásia e Américas e, especialmente, no Brasil, líder mundial no assunto. Os agrocombustíveis são produzidos a partir de plantações específicas para tal, diversamente das que aproveitam os resíduos orgânicos, tais como óleo vegetal reciclável e depósitos urbanos. O biocombustível tem sido centro de muitas polêmicas internacionais, técnicas e políticas, incluindo: emissões de carbono, preços do petróleo, relação combustível versus alimentação, devastação florestal, erosão do solo, impacto sobre as reservas de água, balanço energético, segurança energética e retorno do carbono que estava armazenado sob a superfície da terra. Existem diversas formas de se produzir agrocombustível. Uma delas é com a plantação de vegetais contendo alto teor de açúcar (como a cana-de-açúcar, a beterraba, o sorgo e o milho) para fermentação visando produzir álcool etílico (etanol). A segunda estratégia é o uso de organismos que contêm altas quantidades de óleo vegetal, como palmeiras, soja, algas e jatobá. Uma vez aquecidos, esses óleos perdem a viscosidade e o produto pode ser queimado diretamente em motores diesel ou ser quimicamente processados para produzir biodiesel.

O Brasil já tem experiências de mais de 30 anos com veículos acionados exclusivamente por combustíveis renováveis, incluindo o etanol e as misturas de etanol e gasolina. Só no ano de 2005 o país produziu 20 bilhões de litros de álcool, tornando-se o maior produtor mundial de etanol. Mais recentemente, o desenvolvimento de veículos flex, que podem rodar com etanol, gasolina ou uma mistura qualquer de ambos, aumentou a confiança no etanol da biomassa. Outros países despertaram para o biocombustível, como os Estados Unidos, Suécia, Canadá, Índia, Austrália, Coréia do Sul, Noruega, Tailândia e China.

ANALISANDO O PROBLEMA
Atualmente, os combustíveis fósseis são os mais empregados pelo ser humano, principalmente na indústria e no transporte. Essas fontes de energia não são infinitas nem renováveis. Portanto, é extremamente importante buscar fontes alternativas de obtenção de energia. Algumas dessas fontes alternativas são os combustíveis derivados de óleos vegetais, também chamados biocombustíveis. Estes, além de serem uma fonte de energia renovável, são menos poluentes do que os combustíveis fósseis. Há interesse em desenvolver essa tecnologia porque ela pode abrir novas perspectivas de geração de emprego e renda, promovendo assim a inclusão social de várias comunidades. Dentre as desvantagens da utilização de biocombustíveis, podemos destacar: a possibilidade de a cultura de oleaginosas substituir as culturas de plantas utilizadas para consumo humano, comprometendo a produção de alimentos, e a degradação de áreas naturais preservadas, como florestas tropicais. (Projeto Araribá - 2016)

COMENTÁRIOS ()