Segunda-Feira, 03 de Agosto de 2020 |

Colunista


Conversando sobre o cotidiano


Paulo Franquilin


franquilin.pc@gmail.com


Lula está preso, mas e os outros?

Os passos para a prisão do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva começaram com a expedição do mandado, pelo juiz Sérgio Moro, dando prazo, até às 17 horas do dia seguinte, 06 de abril, para a apresentação voluntária na sede da Polícia Federal, em Curitiba, para cumprir a pena imposta, por corrupção e lavagem de dinheiro, no caso do tríplex do Guarujá.

Depois de descumprido o prazo inicial, Lula permaneceu no interior do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, onde havia se alojado no dia anterior, que depois foi cercado por políticos e militantes, os quais queriam evitar o cumprimento do mandado da prisão, enquanto a defesa tentava outros recursos para evitar o encarceramento.

Foi uma sexta tensa para o país, com todos acompanhando, em tempo real, tudo que acontecia no prédio do sindicato, com aparições de Lula, discursos inflamados de políticos, havendo a cogitação de invasão do prédio para cumprimento do mandado.

O processo de negociação entre os advogados do ex-presidente e a Polícia Federal foi lento e com muitos acordos, visando evitar situações de confronto, sendo permitido que houvesse atos políticos, durante todo o dia de sábado, finalizando com um discurso de Lula, onde comunicou que se entregaria.

No início da noite Lula entregou-se a agentes da PF que o levaram, num carro discreto e sem algemas, para a sede da Polícia Federal, em São Paulo, onde realizou exames, sendo, em seguida, levado para Curitiba, passando a cumprir sua pena numa cela, especialmente reservada para recebe-lo.

Assim, Lula entra para a história como o primeiro ex-presidente brasileiro a ser preso por crime de corrupção, unindo-se a outros políticos corruptos que já estão presos, havendo muitos que permanecem livres apenas por estarem em cargos públicos, com foro privilegiado.

Vamos aguardar as eleições de outubro para ver quais serão aqueles que perderão o privilégio e poderão ser investigados por seus crimes, condenados e juntarem-se a Lula nas cadeias.

COMENTÁRIOS ()