Sexta-Feira, 07 de Agosto de 2020 |

Colunista


Conversando sobre o cotidiano


Paulo Franquilin


franquilin.pc@gmail.com


Filas para protestar!

O povo brasileiro é o único no mundo que consegue, ao mesmo tempo, protestar contra o aumento dos combustíveis e formar enormes filas para comprar combustível com altos preços.

O que estamos vivendo nestes dez dias de greve dos caminhoneiros, que representam uma parte lúcida do povo, é um absurdo de contradições que se acumulam.

Para os grevistas vieram algumas conquistas, como redução do preço do diesel na bomba em 46 centavos, estabelecimento de um valor mínimo para os fretes e a isenção de pagamento de pedágios para os caminhões que circularem com o eixo suspenso.

Para a população em geral o que temos são enormes filas nos postos, abastecendo veículos com gasolina a preço superfaturado, falta de gás de cozinha em muitas cidades e várias espécies de alimentos.

Em meio a toda a bagunça no país, a Petrobrás anuncia aumento de 0,75% do preço da gasolina nas refinarias, enquanto o governo propõe redução de 10% no valor do diesel, ou seja, para os grevistas vantagens, para o restante aumento.

Todas as vantagens dadas aos que usam diesel serão pagas por quem não usa este combustível, repassadas aos proprietários de veículos, usuários do transporte público, numa sequência de aumentos que virão futuramente.

O povo perdeu a oportunidade de conseguir baixar o valor da gasolina, deixando seus carros em casa, forçando a redução do preço por acumular o produto nos postos, porém fez justamente o contrário, andando pelas cidades procurando os caminhões tanque e fazendo fila onde eles parassem.

Acabada a greve, teremos a notícia de inúmeros aumentos para cobrir os prejuízos deste tempo de parada do abastecimento, aliado a mais impostos que serão aumentados para fazer frente a todas as cedências do governo federal.

Fazer fila nos postos para abastecer foi a maneira encontrada pelos brasileiros para protestar contra o aumento dos combustíveis, o que, no mínimo, mostra falta de inteligência e noção de coletividade.

COMENTÁRIOS ()