Quinta-Feira, 06 de Agosto de 2020 |

Colunista


Conversando sobre o cotidiano


Paulo Franquilin


franquilin.pc@gmail.com


Blefe eleitoral

A notícia de que o governo federal tem interesse em privatizar o Banrisul não é nenhuma novidade, desde a extinção da Caixa Econômica Estadual e diversos outros bancos públicos estaduais na década de 90, tendo permanecido como um dos poucos nesta modalidade.

Durante os últimos 30 anos vem se discutindo pela extinção do Banrisul, com grupos que defendem a manutenção do banco, visto ser lucrativo e importante para a economia gaúcha e outros que dizem não ser necessário uma instituição financeira ligada ao governo estadual, alegando que bancos privados podem tomar o lugar do Banrisul.

Na eleição para governador uma das bandeiras de Sartori era o plano de recuperação junto ao governo federal, tendo como garantia algumas estatais, sendo divulgado que já havia um pré-acordo assinado e que o Banrisul estava fora da negociação.

No entanto agora, depois de encerrado o pleito surge a notícia de que não há nenhum documento assinado e que a principal exigência era a privatização do Banrisul, como garantia para a suspensão por três anos do pagamento da dívida com a União.

Desta forma descobrimos que o governo que sai não teve a capacidade de negociar, nem a coragem de divulgar aos gaúchos a inexistência de um pré-acordo, apenas inúmeras reuniões em Brasília que resultaram em nada, continuamos com o pagamento, de nossa dívida, suspenso por liminar, a qual pode cair a qualquer momento.

COMENTÁRIOS ()