Sexta-Feira, 30 de Outubro de 2020 |

Colunista


Conversando sobre o cotidiano


Paulo Franquilin


franquilin.pc@gmail.com


Serviço Público

O Brasil está perdido no que se refere à prestação de serviços públicos porque houve um inchaço de muitos setores desnecessários ao interesse da população, enquanto saúde, educação e segurança, estes primordiais foram negligenciados pelos governantes.

Aumento do número de cargos comissionados para acomodar apadrinhados políticos como assessores dos mais diversos níveis, com grandes salários e sem a devida contrapartida na prestação de serviços à comunidade.

Também houve a explosão de novos municípios, chegando ao número absurdo de quase cinco mil cidades, sem nenhum planejamento para a criação de emprego e renda de forma privada, somente a existência de estruturas públicas que servem para mais e mais políticos acomodarem-se e gerir recursos públicos que são entregues aos municípios.

As estruturas de saúde, como hospitais e postos não são construídos, há investimento apenas em ambulâncias e vans para levar os pacientes para atendimento em outras cidades, numa troca pelo voto futuro, mantendo os políticos em seus cargos.

No que tange à educação pública, toda a estrutura física das escolas não tem previsão orçamentária para a manutenção, assim temos prédios sem condições mínimas para receber professores e alunos, enquanto não se realizam concursos para preencher a falta de professores, com uma queda gradual do número de estudantes no sistema público.

O quadro da segurança também é caótico, pois os governantes entregam viaturas e equipamentos para um número cada vez menor de policiais, visto que não houve planejamento para a contratação de novos funcionários públicos visando repor as lacunas de uma previsão de efetivo que nunca foi cumprida.

Agora chegamos ao ponto de termos um maior número de pessoas na inatividade pelo desinteresse dos governantes em cumprir as promessas de campanha, colocando policiais, professores e médicos em número suficiente para atender a população, mas conseguem gastar milhões com seus apadrinhados e aliados.

COMENTÁRIOS ()