Segunda-Feira, 03 de Agosto de 2020 |

Colunista


Conversando sobre o cotidiano


Paulo Franquilin


franquilin.pc@gmail.com


O valor de um professor

Quanto vale uma pessoa que acorda cedo, toma um café simples, pega um ônibus lotado, carregando pastas e cadernos que levou para casa para corrigir. Com sorte chega à escola no horário, antes dos alunos, que recebe um a um, dando atenção para cada pai ou mãe que leva seu filho.

Organiza os estudantes em seus lugares, entrega os cadernos e as pastas corrigidos, faz a chamada e começa a escrever tarefas no quadro, usando giz colorido, para atrair a atenção dos alunos, pois não tem acesso a outros recursos tecnológicos.

A manhã passa. Uma sala lotada, com crianças agitadas, pois não existem aparelhos de ar condicionado, às vezes tem um ventilador que gira lentamente, sem vencer o calor que abafa e cansa ainda mais as pessoas.

Um intervalo no meio da manhã, uns quinze minutos em que comer um lanche e tomar um café, enquanto cuida do movimento nos pátios inseguros, sem estrutura adequada para as brincadeiras e correrias dos alunos.

Retorno à sala de aula, talvez um aluno que não aceita as regras do professor, interrompa a explicação, mas o profissional precisa entender e continuar firme na sua rotina de ensinar. Ofensas de alunos e das famílias ocorrem algumas vezes, porque conteúdos não foram entendidos e as notas abaixo do esperado.

Um almoço no refeitório. Algo que trouxe de casa ou um lanche barato. Alguns ficam dois turnos na mesma escola, outros precisam pegar outro ônibus para mais uma jornada. Chega a tarde, mais uma turma, ensinamentos para repassar, problemas com familiares e estudantes, poucos recursos didáticos.

Fim da tarde. Ir para a parada do ônibus, que chega lotado, mais uma viagem até outra escola, pois somente dois turnos não são suficientes. Na noite ir para casa e atender as demandas domésticas, jantar e dormir.

Jornadas de 60 horas semanais são comuns para milhares de professores da rede pública, porque 40 horas trabalhadas rendem, em média, dois mil reais, que não são pagos no final de cada mês.

COMENTÁRIOS ()