Quinta-Feira, 22 de Abril de 2021 |

Colunista


Conversando sobre o cotidiano


Paulo Franquilin


franquilin.pc@gmail.com


Música para ouvir

Os estímulos que recebemos quando ouvimos uma música estimulam nosso cérebro, que reage transmitindo sensações, que podem variar da euforia à depressão, dependendo do tipo de música e o que estamos vivendo.

A música surgiu desde que o ser humano passou a observar a natureza e ouvir seus sons, passando a imitar usando a voz e criar maneiras de reproduzir o que ouvia, surgindo tambores e também as danças.

Na Grécia, o termo música tem origem nas Musas, divindades que inspiravam as artes. Pitágoras descobriu as notas musicais da forma que conhecemos, tendo os gregos criado o Teatro, onde as tragédias eram cantadas acompanhadas de liras, cítaras e flautas.

Os romanos utilizaram a música para conduzir as ações das tropas e cantar vitórias nas guerras, rituais sagrados das religiões, enquanto os egípcios acreditavam na origem divina da música e relacionada ao culto dos deuses.

Na antiguidade a música toma tantas formas, expandindo-se de várias formas, com surgimento de instrumentos e desenvolvimento de vários estilos musicais, tendo influência nas culturas dos povos.

O século XX a música se popularizou através do rádio, com invenção de novas tecnologias para gravar e distribuir as músicas, desta forma os artistas puderam ter fama nacional e até internacional, com o advento da televisão nos anos 1950, o vídeo passou a divulgar os artistas.

Novos gêneros de música surgiram, os instrumentos musicais tornaram-se eletrônicos, ampliando as formas de criar e disseminar a música popular, com surgimento de vários cantores e bandas com fama mundial.

Chegamos aos nossos dias com uma enormidade de mídias para escolher o que ouvir, sendo possível ainda formar nosso próprio repertório, que vai tornar nossos momentos mais felizes, pois música é vida, é o que mais precisamos neste momento de pandemia.

COMENTÁRIOS ()