Tera-Feira, 29 de Novembro de 2022 |

Colunista


Conversando sobre o cotidiano


Paulo Franquilin


franquilin.pc@gmail.com


Tragédia em Petrópolis

A cidade de Petrópolis, no Rio de Janeiro, teve grande parte de sua área destruída pelo efeito das chuvas, as quais causaram o desmoronamento de diversas encostas, levando casas e ceifando vidas.

Os rios e arroios transbordaram pela enorme quantidade de água que foi despejada sobre a cidade, levando veículos, causando mortes daqueles que estavam transitando na cidade.

As mortes ocorreram pelo deslizamento de toneladas de terra e restos de construções, que enterraram nas encostas centenas de pessoas, repetindo uma tragédia que já aconteceu em outras oportunidades, da mesma maneira.

Os bombeiros e moradores começaram, a partir do momento em que cessaram as chuvas, a procurar os sobreviventes da tragédia, buscando entre os escombros sinais das vidas que ali estavam.

As causas da tragédia de Petrópolis estão ligadas ao descaso das autoridades cariocas, que desviaram milhões de dinheiro público, não investindo na contenção das encostas e outras obras necessárias.

Além disso, os menos favorecidos que chegavam na cidade, sem outra opção, tomaram conta dos morros ao redor da cidade, os quais foram desmatados, tanto pelos exploradores imobiliários, como pelos invasores.

A realidade de Petrópolis não é muito diferente de tantas outras cidades brasileiras, que também não tem planejamento urbano, nem consciência ambiental de autoridades e dos habitantes.

Agora a cidade de Petrópolis é palco de centenas de mortes, com vários corpos encontrados após muitos dias de procura, sendo que muitas dessas pessoas ainda não foram identificadas.

Tomara que após mais uma tragédia, como tantas outras já ocorridas no Brasil, haja mudança nas políticas públicas de preservação da natureza e de ocupação do espaço urbano com segurança para a população.

Também que as autoridades brasileiras venham a aplicar corretamente os recursos públicos, usando as verbas dentro das áreas a que se destinam e que a ganância dos políticos não continue matando inocentes.

COMENTÁRIOS ()