Sexta-Feira, 23 de Outubro de 2020 |

Colunista


Direito e Cidadania


Simone Rapone



Esse último artigo do ano de 2019 é direcionado aos empresários, em especial aqueles que fazem a gestão/administração das suas empresas, é dedicado a inspirar uma análise e reflexão, com um olhar voltado para as suas operações e concluindo com franqueza, melhorias que precisam ser implementadas para o ano 2020 que se aproxima. Gerir tributos de uma empresa não é tarefa simples. O empresário deve estar atento a questões burocrática e legais, além de controlar prazos e obrigações acessórias. Em breves palavras falaremos sobre algumas ferramentas que podem ser utilizadas em uma boa gestão.

Recolhimento correto dos tributos

É muito comum encontrar gestores que não sabem escolher o melhor enquadramento tributário para a empresa. Devido ao despreparo, recolhem impostos desnecessários ou fazem com que a organização deixe de cumprir obrigações e seja autuada pelo Fisco em função de irregularidades.

È de extrema importância para a saúde financeira da empresa, que o seu gestor tenha o conhecimento necessário, que muitas das vezes é realizado por profissionais terceirizados ou não, mas o importante é que sejam especializados e qualificados para a prestação de serviços .. Desde a compreensão do enquadramento mais adequado até o recolhimento certeiro de impostos, o processo corporativo ganha dinamismo graças a uma gestão financeira eficiente e salutar.

Segurança nas operações

A legislação tributária e vasta, complexa e em constante atualização e modificações , neste sentido a segurança jurídica em relação as rotinas fiscais também é um fator que precisa de um olhar diferenciado.

Redução de riscos

Como consequência da segurança das operações e do recolhimento adequado dos impostos, a companhia consegue diminuir os riscos do negócio, investindo em compliance e agregando valor aos processos.

Compliance é uma estratégia que visa auxiliar a empresa no cumprimento das leis e regulamentos. Essa ajuda se dá por meio de políticas e diretrizes estabelecidas com o escopo de evitar ou detectar rapidamente qualquer ação indevida que possa acontecer.

Com uma boa organização tributária, o gestor ordena seus procedimentos para torná-los mais simples e distanciá-los de riscos tributários, fiscais e financeiros. De modo geral, poderíamos dizer esse conjunto de boas práticas ajudam a fazer a compliance funcionar na prática.

Planejamento financeiro

Sem dúvida, o planejamento financeiro tributário figura como uma das ferramentas mais interessantes na estrutura organizacional de uma empresa

Ele é realizado com o objetivo de avaliar a realidade da corporação e traçar planos relacionados ao cumprimento das obrigações tributárias e fiscais. Além disso, influencia na escolha do regime tributário e na possibilidade de usufruir de benefícios como o crédito tributário, por exemplo.

Inicialmente todo gestor deve analisar sua empresa com base na legislação, e são adotadas medidas para a melhora do desempenho tributário com ênfase na otimização financeira, sempre respeitando as regras em vigor.

Reduzir a carga tributária consiste na meta principal, também alinhando processos e impedindo que a companhia receba multas ou adote práticas inadequadas.

COMENTÁRIOS ()