Sbado, 08 de Agosto de 2020 |

Colunista


Direito e Cidadania


Simone Rapone



O papel do advogado corporativo em tempos de Covid-19

Os último 45 dias, em decorrência da pandemia pela contaminação do COVID-19, têm sido completamente imprevisíveis e atípicos e como todos são sabedores, vivemos dias nunca antes experimentados.

Não vivemos somente uma crise sanitária, vivemos uma crise econômica, estrutural e política. Tempos de alterações legislativas diárias, que envolvem toda a estrutura funcional e econômica das empresas e também das pessoas físicas.

Empresários precisam diariamente estar revendo suas ações e estratégias, pois literalmente estamos vivendo um dia de cada vez, sem que possamos programar investimentos, compras e aquisições por um período muito longo, pois não sabemos se teremos receita para fazer frente a estas compras, ou sequer saber se novas atividades não serão novamente interrompidas.

Estamos aprendendo a reavaliar nossos procedimentos rotineiros e nos acostumando a rever alguns conceitos, antes ditos como certos e absolutos.

Com todas estas incertezas, em estamos vivendo torna-se muito importante à presença do advogado corporativo, que é aquele profissional que dará todo o suporte ao empresário, que estará presente nas tomadas de decisões e na escolha das melhores estratégias para ao seu negócio. Analisando junto ao empresário, se a melhor situação é suspender o contrato de trabalho ou conceder férias antecipadas ou reduzir jornada de trabalho, por exemplo.

O advogado corporativo não deve mais ser visto e ser chamado somente quando ocorre um litígio, quando a empresa é acionada na Justiça, mas deve ser visto como um executivo jurídico, aquele que vai participar de reuniões com fornecedores, com colaboradores para junto com o empresário tomar as decisões mais acertadas e dentro da realidade empresa.

Cada vez mais os advogados corporativos estão se preparando, com outras competências que vão além do conhecimento jurídico puro. Estamos estudando economia, marketing, gestão de riscos e assim buscar dar um atendimento mais global aos empresários.

Devemos repensar a judicialização devemos explicar e ofertar aos nossos clientes empresários outras opções e soluções para suas adversidades, como por exemplo, a mediação de conflitos e em alguns casos a arbitragem como solução mais rápida de litígios.

Em tempos de COVID-19, vamos pensar a melhor solução, juntos.

Um bom advogado corporativo ajuda a empresa crescer com mais competitivade no mercado e consequentemente ter uma melhora financeira.

COMENTÁRIOS ()