Segunda-Feira, 10 de Agosto de 2020 |

Colunista


Direito e Cidadania


Victoria Maia



Golpes em tempos de coronavírus

Noutra oportunidade havia trazido no espaço desta coluna os reflexos penais possíveis diante da propagação do coronavírus e da edição de lei brasileira voltada à prevenção e combate à propagação da epidemia que vem assolando o cenário mundial. Com o avanço do vírus em comento e as notícias de ações de golpistas, trago a reflexão acerca da temática nesta semana.

Com a chegada dos primeiros casos da COVID-19 provocada pelo novo coronavírus em nosso país e o avanço tecnológico, começaram a ser compartilhadas diversas fakes news a respeito do assunto, propagando informações falsas e colocando em risco os usuários. Além da difusão de informações inverídicas, os links a serem acessados pelos internautas podem levar a sites falsos que podem colocar em risco os aparelhos utilizados para tais acessos, permitindo criminosos a terem acessos a dados importantes do indivíduo. Desde já, recomenda-se a cautela ao clicar em matérias compartilhadas, analisando devidamente se trata de endereço verdadeiro e de fonte confiável, tanto para acesso ao conteúdo, como para compartilhamento e divulgação para familiares e amigos. Essa responsabilidade também é nossa!

Por outro lado, ainda temos a apresentação de supostos médicos que defendem uso de determinadas substâncias para lograrem êxito em auferir lucros com suposta medida de cura ou até mesmo de prevenção contra a COVID-19. Ocorre que sabidamente trata-se de doença provocada pelo novo coronavírus, sendo que por ser novidade tanto para nosso organismo que apresenta dificuldade em produzir anticorpos para eliminá-la, como para a medicina que luta contra o tempo para encontrar mecanismos eficientes para curar pacientes e evitar o aumento do número de mortos, não há soluções mágicas para o momento. O que tem ocorrido é que indivíduos se apresentando como farmacêuticos e médicos prometem que com o uso de tal medicação ou submissão a tal tratamento estariam prevenidos quanto aos efeitos do novo coronavírus, propagando informações falsas e lucrando com milhares de pessoas que em desespero para salvar a si e as suas famílias acreditam nas mentirosas promessas. É necessário esclarecer que tais ações caracterizam infrações penais passíveis de responsabilização criminal dos indivíduos que as praticam.

A orientação é que os usuários devam desconfiar de mensagens sensacionalistas ou que garantam benefícios e brindes, bem como se manter atento às informações oficiais disponibilizadas pelo Ministério da Saúde e canais de jornalismo confiáveis. Inclusive, o Ministério da Saúde disponibilizou canal de atendimento via WhatsApp através do número (69) 99289-4640 voltado ao recebimento de matérias fake news, tendo a função de responder ao cidadão se o conteúdo enviado é verdadeiro ou falso.

Sobretudo, é indispensável que utilizemos os recursos tecnológicos a nosso favor em tempos de isolamento, estejamos cientes de como utilizar os recursos que nos são disponíveis, especialmente em tempo de crises graves como a que vivemos, estando atentos e devidamente informados, com respeito integral às medidas de prevenção. A tecnologia está aqui para amenizar os efeitos do isolamento social nos oportunizando ver e ouvir as pessoas que estão distante geograficamente de nós, para nos manter informados em tempo real das notícias do mundo e também para disponibilizar entretenimento com filmes, séries, desenhos e documentários. Sejamos conscientes e saibamos utilizá-la da maneira correta!

COMENTÁRIOS ()