Domingo, 25 de Junho de 2017 |

Colunista


EducadaMente


Tatiani Roland



Esse artigo é dedicado principalmente aos que ainda duvidam que nós professores devêssemos receber adicionais de insalubridade e periculosidade por causa de nosso cotidiano profissional...
O professorado está adoecendo rapidamente. Aqueles que mais se importam estão ainda num estado pior. Quanto mais empenho, dedicação e esforço com a educação menos força física e emocional podemos observar nos docentes. Não estou falando de todos, mas de uma parcela significativa desse grupo tão importante para a edificação e sustento da sociedade. Em meus estudos de doutorado tenho investigado a Síndrome de Burnout (conhecida como síndrome do esgotamento profissional) que é um estado de tensão emocional e estresse crônico provocado por condições de trabalho físicas, emocionais e psicológicas desgastantes. A síndrome se manifesta especialmente em pessoas cuja profissão exige envolvimento interpessoal direto e intenso. Meu estudo visa avaliar os profissionais da educação em Alvorada e fazer propostas de melhoria para que o município possa economizar financeiramente destinando recursos para prevenção mais do que gastando com profissionais licenciados por causa da doença.
Como não adoecer com as decepções nas escolas? Não estou questionando só salário não... Violência, falta de respeito, descaso de muitas famílias, drogadição, intolerância, enfim são tantas coisas a se pensar. Não podemos nos esconder em nosso amor pela carreira. Também amo o que faço, porém já cansei de voltar pra casa chorando pela impotência de nada conseguir fazer em relação a todas as situações pelas quais passamos.
Temos muitos mestres e doutores em sala de aula e ainda somos chamados de sôr e sôra. Pra quê tanto estudo se nossas opiniões são questionadas por qualquer pessoa? Agora cabe salientar que financeiramente de nada vale nossos títulos. Na rede estadual meu mestrado acrescentou um valor de R$50,00 no meu salário e no município vale um pouquinho mais. Doutorado??? Bem, isso não vale mais nada. Afinal de contas, por que insistimos então??? Por essas e outras que muita gente se joga em “furadas” de mestrado a distância (coisa ilegal e que me deixa impressionada em ainda acontecer!) que aparentam ser fáceis e cômodas. Como não adoecer com tanto descaso e promessas mentirosas?
Pais que entram nas escolas e ameaçam professores sem ao menos enxergar os graves riscos desse ato para todos; os carros que são riscados da mesma forma inconsequente de alunos que cortam os pulsos num gesto de rebeldia sem causa; as corridas de uma escola pra outra sem parada para fazer uma refeição; a impaciência de colegas que deveriam estar fazendo qualquer outra coisa menos “dando aula”; a falta de tempo para fazer um curso, ler um jornal, ver TV ou mesmo curtir um teatro ou cinema; a jornada estendida de trabalho em casa com provas, aulas a planejar, recursos a construir, documentos para preencher... nossa!!!! E mesmo assim a gente ama o que faz. Ponto. Tão simples, tão complicado. Tão perigoso como comer um docinho ofertado...

Era uma vez uma professora que morreu. Fim.
Para encerrar essa parte da conversa sobre periculosidade quero partilhar um fato que ocorreu ano passado comigo e me deixou muito triste. Estava em atividade de trabalho no RJ. Conversando com uma professora que leciona na Favela da Rocinha falávamos sobre as crianças pequenas e como mudou a relação delas com a escola. Nisso ela me contou sobre um caso ocorrido com duas crianças de seis anos. A professora mandou chamar os pais devido a agressividade deles e brigas constantes. O que os meninos de seis anos fizeram? Assassinaram a professora com requintes profissionais. Com a ajuda de algum adulto (e não duvido que tenha sido da família) colocaram chumbinho (veneno de rato) num bolinho e no dia seguinte foram pedir desculpas para a professora sobre o comportamento. Deram o bolinho e aguardaram que ela o comesse. A professora morreu na sala de aula... Fim da história.
Daiane Soares Martins obrigada pela sugestão do assunto e feliz aniversário!!!!!

COMENTÁRIOS ()