Sábado, 25 de Março de 2017 |

Colunista


EducadaMente


Tatiani Roland



O novo mal do século
Há uns dias atrás já quis ter abordado essa temática, porém outras situações pontuais gritavam por uma reflexão.
Pensarmos sobre as doenças do corpo e da alma nos dá a chance de refletir sobre como podemos ser pessoas melhores e mais felizes mesmo com tantas adversidades.
Preste atenção e responda as seguintes perguntas:
1. Você sofre por antecipação?
2. Acorda cansado?
3. Não tolera trabalhar com pessoas lentas?
4. Tem dores de cabeça ou muscular?
5. Esquece-se das coisas com facilidade?
Se você respondeu “sim” para algumas dessas perguntas é provável que sofra da Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA). Considerada pelo psiquiatra Augusto Cury como o novo mal do século, suplantando a depressão, ela acomete grande parte da população mundial.
Ao ler o livro – Ansiedade: Como enfrentar o mal do século (Augusto Cury) - eu pude perceber o quanto nos tornamos infelizes com pequenas coisas que poderiam ser ajustadas. Encontrei uma justificativa para minhas terríveis crises de falta de memória dos últimos anos que mesmo através de intervenções médicas não passou.
O doutor Cury fala ainda sobre nossa sociedade de excessos. Pelo bombardeamento de informações que, na maior parte do tempo, não conseguimos absorver. Ele aborda as cobranças e pressões o que nos torna reféns de nossa mente. Diz que isso tudo alterou algo que deveria ser inviolável: o ritmo de construção de pensamentos gerando consequências sérias demais para a saúde emocional, o prazer de viver, a inteligência e a criatividade.
Pensar é bom, pensar com consciência crítica é melhor ainda, mas pensar excessivamente é uma bomba contra a qualidade de vida e um intelecto criativo e produtivo.
Segundo o conceituado psiquiatra e psicoterapeuta Augusto Cury essa doença (SPA) é ainda pouco conhecida por psicólogos e psicopedagogos e comumente é confundida com hiperatividade ou transtorno de déficit de atenção.
Importante saber que essa doença nasce de um estudo rigoroso dentro de universidades e que esse autor é um dos poucos pensadores vivos cuja teoria é objeto de estudo em cursos de pós-graduação, mestrado e doutorado internacionais.
Para quem puder e quiser fica a dica de uma ótima leitura então.
Em outras oportunidades irei contribuir nesse espaço com técnicas para enfrentar essa doença na busca pela qualidade emocional e mental. Assim como muitas pessoas eu estou no mesmo processo e busca por uma vida mais tranquila...

COMENTÁRIOS ()