Terça-Feira, 22 de Agosto de 2017 |

Colunista


EducadaMente


Tatiani Roland



Quando nasce uma mãe

Hoje completo um ano como mãe. Nasci mãe no dia 23 de setembro de 2014, às 11h24min. A partir daí me redescobri e acredito que tenha dado certo. O medo de segurar qualquer bebê no colo sumiu (isso é fantástico). Nem os afilhados eu conseguia pegar sem ter que tomar algum relaxante muscular depois. Ficava tensa, com medo de “quebrar” aquela estrutura delicada.
Leva em média 40 semanas para uma mãe nascer. Não é fácil (nem tão difícil quanto pensava). Muitos cuidados, alimentação balanceada (nunca fiquei tão feliz em recusar o refrigerante). Aliás, penso que uma boa mãe se mostra desde o princípio. Não que sacrifícios sejam sempre necessários, contudo se descobrir mãe começa com o fato de que a gente se dá conta de que somos mais de um agora. São dois corações num mesmo espaço, duas mentes a se desenvolver, muito amor envolvido. De repente os hábitos mudam e é possível se tornar uma pessoa bem melhor durante o resto de sua vida...
Desse dia em diante meus olhos enxergam diferente. O que antes era de um jeito agora toma outro tom, outra forma. Para mim os bebês eram todos iguais. Sempre aquelas carinhas de “joelho” como falam. Hoje quando olho para um recém-nascido enxergo a família, vejo para além daquele momento.
Realmente consegui mostrar que podemos usar os conhecimentos existentes para melhoria das relações. Mantive meus cães, gatos, peixes e flores perto de mim durante os nove meses. Quanto mito vai caindo por terra. Quanto mais amor melhor sem sombra de dúvida. Nascer mãe precisa ser uma conta onde você soma e não subtrai coisas na vida.
Aprendi que tenho que estudar sobre bebês, que existem soluções eficazes para coisas aparentemente complicadas. Descobri que um simples mamar deitado pode causar otite num bebê e que eles não precisam de travesseiro. Descobri que o barulho do ventilador ou o ronco de algum equipamento eletrônico acalma a criança, pois ela lembra dos ruídos do útero; entendi que amigos são fundamentais nessa criação (principalmente de uma mãe nova) e que algumas vezes temos que ceder para alegrar a todos.
Então é primavera! Que venham novas flores, que o sol e a chuva possam ser na medida certa. Boa temporada para as mães recém-nascidas e para aquelas que estão pra chegar. O desafio é trazer ao mundo uma nova geração. Minha maior certeza como mãe é de que essa criançada de agora vai fazer do mundo um lugar muito melhor. Eles são diferentes, são produtos de um desejo coletivo de paz.
Hoje com um ano estou engatinhando, mas em breve serei uma mamãe que corre! Quando eu começar a falar terei que medir as palavras para não marcar negativamente minha filha. Sou uma mãe em construção... Obrigada Ana Clara Szelest Verdade por ter me trazido ao mundo!

COMENTÁRIOS ()