Segunda-Feira, 21 de Agosto de 2017 |

Colunista


Entre Linhas


Werner Pfluck


wernerpfluck@hotmail.com


O governo de Dilma Rousseff tenta se reerguer, mas apanha tanto e está tão fragilizado que não consegue mais do que ficar de joelhos. A prisão de João Vaccari nesta semana, o segundo tesoureiro do PT a ir para trás das grades, foi um golpe duro, que reanimou a oposição. As principais legendas oposicionistas estão afinando os discursos e ensaiando estratégias conjuntas com mais força, e, para o governo, nada é tão ruim que não possa piorar.

Dor de cabeça
Se por um lado o trabalho incansável e eficaz da Polícia Federal, ao lado do Ministério Público Federal e Justiça Federal, na operação Lava-Jato, pretende não deixar pedra sobre pedra no esquema de corrupção promovido nos governos petistas dentro da Petrobras (e que já revelou evidências de que se estende a outras áreas, como Eletrobras, hidrelétricas etc.), por outro lado a oposição no Congresso, empurrada pelos milhões que foram às ruas em março e abril, abre duas novas ofensivas para emparedar Dilma Rousseff: BNDES e Lei de Responsabilidade.

Irresponsabilidade Fiscal
O entendimento do Tribunal de Contas da União de que o governo violou a Lei de Responsabilidade Fiscal na gestão anterior, maquiando números e protelando pagamentos para fechar as contas, entre outras irregularidades, dá farta munição à oposição nesse momento crítico.

Quebrando o sigilo
A CPI do BNDES, que será protocolada na Câmara depois que, ontem, foram reunidas 199 assinaturas (eram necessárias 170) deverá atingir o tendão de Aquiles do governo. Houve uma tentativa de abrir a CPI no Senado, mas a pressão do governo fez oito senadores retirarem as assinaturas, e o requerimento foi engavetado. Mas se, desta vez, prosperar a iniciativa dos deputados, será aberta uma caixa de Pandora, de onde surgirão episódios com potencial de estremecer a República. O petrolão, que fez o mensalão parecer pequeno, também parecerá menor (apesar de já estarmos falando de dezenas de bilhões!), diante dos números que virão das operações até agora classificadas como “secretas” pelo BNDES, especialmente aquelas destinadas a financiar certos governos pelos quais o PT não esconde sua simpatia.

Reprise
O ex-vereador pretende voltar à cena política, agora como prefeito, e está finalizando acertos com o PSDB. Começam a tomar forma as movimentações para o pleito de 2016.

Blog
A partir da próxima quarta, acompanhe diariamente pela internet os comentários, análises e novidades sobre política, cultura, educação, comportamento e outros temas, no Blog do Werner. Não faltará bom humor e certa dose de ironia, mas levando tudo muito a sério. O endereço estará disponível no Facebook na quarta-feira e, na próxima semana, nesta coluna. Seja bem-vindo!

COMENTÁRIOS ()