Segunda-Feira, 18 de Dezembro de 2017 |

Colunista


Entre Linhas


Werner Pfluck


wernerpfluck@hotmail.com


O governo federal acaba de anunciar o reajuste no valor da aposta da Mega-Sena. Um dos jogos de azar mais populares organizados pela Caixa é também um símbolo do apetite voraz do governo. Alguns dados: em abril do ano passado, o valor da aposta subiu de R$ 2,00 para R$ 2,50 (aumento de 25%, inflação de 7% ao ano). Agora o valor passa para R$ 3,50 (aumento de 40%, inflação de 8%). Nos últimos 12 meses, período que teve inflação oficial de 8%, a diferença no valor da aposta, de R$ 2,00 para R$ 3,50, é de 75%. Faz lembrar a conta da luz.

Mina de ouro 2
Para o apostador, pagar 1 real a mais em cada aposta pode parecer pouco, mas para o governo, faz uma bela diferença. O sorteio arrecada, a cada jogo, cerca de R$ 30 milhões, dos quais apenas 25% são destinados aos acertadores do prêmio principal, de seis números, da quina e da quadra. Os outros 75% são diluídos em imposto de renda, INSS, FIES, Fundo Penitenciário, Fundo Nacional da Cultura, Comitê Olímpico etc. etc.. Ou seja, se perde nos cofres do governo. Isso representa mais de R$ 22 milhões por jogo que vão para o saco sem fundo de Brasília. Como são dois jogos por semana, no ano a conta ultrapassa folgado a casa de R$ 2,3 bilhões. Isso antes do último reajuste. A partir de maio, a “mamata” vai para além dos R$ 3,3 bilhões por ano. E tem ainda a Quina, Loto Fácil, Loteria Federal e uma infinidade de jogos de azar (para o apostador) e sorte (para o governo).

Devastação
A reconstrução do Nepal, depois do trágico terremoto que causou mais de 5 mil mortes, vai custar em torno de US$ 6 bilhões. Para efeito de comparação, o esquema do “petrolão” desviou dez vezes isso, pelo que foi apurado até agora na Lava-Jato. E falta ainda desvelar a caixa preta do BNDES, que vai fazer o petrolão parecer pequeno. Tem ainda a Eletrobras, hidrelétricas, portos, aeroportos... Enfim, a conclusão é que a administração dos governos petistas tem sido muito mais devastadora do que terremotos. Infelizmente até no número de vítimas temos um quadro mais cruel. O que o Nepal perdeu de vidas por causa do terremoto é o que o Brasil perde a cada semana nas filas dos hospitais, nas listas de espera de exames, na mira de criminosos e em outras áreas em que falta o investimento do governo, onde o dinheiro desviado pela corrupção teria sido muito útil para ajudar a preservar muitas vidas.

Prudência
Para evitar um novo “panelaço”, a presidente Dilma, do Partido dos Trabalhadores, não vai falar aos trabalhadores no Dia do Trabalhador. Que situação! Uma líder que não pode aparecer. Uma presidente que não pode ser vista. A chefe suprema da nação precisa se esconder do povo que supõe liderar... O que, afinal, ainda sustenta Dilma Rousseff na presidência?

Frase alheia que eu gostaria de ter escrito:
"Com 12% de aprovação, não é a democracia que sustenta a presidente. É o Estado de direito. Então pergunto: pode ele servir para proteção do governo que vemos e não para proteger a sociedade do governo?" (Percival Puggina)

Sacrifício de animais
Adeptos de religiões de matriz africana se mobilizaram e conseguiram fazer barrar um projeto de lei estadual que proibiria o sacrifício de animais em rituais religiosos. Mas a polêmica não terminou. Defensores dos animais continuam inconformados e pretendem levar a discussão adiante.

COMENTÁRIOS ()