Quarta-Feira, 26 de Abril de 2017 |

Colunista


Entre Linhas


Werner Pfluck


wernerpfluck@hotmail.com


Balanço

2015 não vai deixar saudades. Foi um ano tenso, em que assistimos à implosão da economia, retração do PIB, perda de graus de investimento por agências internacionais, aumento de desemprego, queda na produção e nas vendas, retorno da inflação, deterioração dos serviços públicos e rombos bilionários nas contas do governo. O Brasil paga o preço das mentiras e dos desmandos que o governo de Dilma Rousseff não teve pudores em usar ao extremo, para garantir sua reeleição. Fizeram o diabo, como ela disse que fariam.

Ao mesmo tempo, convivemos diariamente com notícias infindáveis sobre o maior esquema de corrupção da história do país, que, segundo o MPF, ainda não chegaram a um terço do que imaginam que poderão revelar. Grandes políticos, dirigentes partidários e empresários presos, bilhões e bilhões de reais descobertos em falcatruas, escoados dos cofres públicos para caixas partidários, campanhas políticas e bolsos de pilantras de grosso calibre, em nome de um projeto de poder.

Dilma Rousseff, como se vivesse em outra galáxia, continua repetido que seu governo não está envolvido em corrupção, mesmo tendo 18 ministros e ex-ministros envolvidos na Lava Jato, e que não há acusações consistentes contra ela e sua gestão que pudessem motivar um pedido de impeachment. Governistas insistem na falácia de que impeachment é golpe, mesmo depois de que a maioria dos parlamentares da Câmara, representantes do povo, já tenha sinalizado apoio e até o STF tenha considerado toda a tramitação iniciada na Câmara absolutamente legal e constitucional, apenas sugerindo ajustes no rito.

O governo gastou, e continua gastando, todas as suas energias para se salvar, enquanto deixa o país afundar. A esmagadora maioria da população tem manifestado que apoia o processo de impeachment, e que não quer a continuidade desse governo. O mercado igualmente sinaliza que o único caminho para o Brasil retomar seu rumo de desenvolvimento passa pela recuperação da credibilidade no governo, o que, com Dilma e o PT à frente, não será possível.

A previsão para 2016 é desanimadora. Teremos mais um ano de recessão, enquanto o resto do mundo continua avançando. E permanece o governo mentindo sem vergonha, culpando uma fantasiosa crise internacional pelos males que nos afligem.

Mas, ainda assim, como bons brasileiros, não desistimos, somos teimosos, e mantemos alguma esperança. Nesta virada de ano, renovemos nossas energias e nossa motivação, para fazermos a nossa parte, como bons cidadãos, honestos e cumpridores de nossos deveres, como esperamos que nossos representantes também o sejam. E que saibamos cobrá-los por isso.

Que o verdadeiro espírito de Natal nos ilumine e nos inspire, e façamos juntos o melhor 2016 que pudermos.

COMENTÁRIOS ()