Quinta-Feira, 22 de Junho de 2017 |

Colunista


Entre Linhas


Werner Pfluck


wernerpfluck@hotmail.com


Amadorismo
O cancelamento do desfile de Carnaval por parte da prefeitura foi só mais uma amostra da forma como vem sendo administrada a cidade. Faltando cerca de dez dias para o evento, e com as escolas de samba praticamente preparadas paras entrar na avenida, tendo já gasto recursos importantes com fantasias e carros alegóricos, eis que o secretário de Cultura é escalado para dar a notícia, poupando o prefeito do desgaste junto aos carnavalescos, que reúnem significativo número de eleitores. Não haverá desfile. A justificativa é a falta de recursos para a estrutura, som, arquibancadas etc. Curioso é que não se conseguiu prever isso antes. Qualquer gestor sério sabe com muita antecedência se vai ou não cumprir com seus objetivos e obrigações. O nome disso é previsão orçamentária, coisa que qualquer administrador mediano sabe do que se trata. Salvo os que preferem administrar à base de milagres em vez de planejamento.

Ladeira abaixo
A propósito, a indústria de milagres deve ter sido mais uma que encolheu com a crise no Brasil, porque por aqui não andam acontecendo muitos. E como nossos gestores públicos não foram capazes de desenvolver outra forma de promover o desenvolvimento da cidade, o resultado está à vista de qualquer cidadão. Depois de três anos desse formato de gestão, com milagres escassos e gestão deplorável, a cidade está se deteriorando, num ritmo e numa intensidade que nunca se viu por aqui.

Faça o que eu digo
O PT experimentou também aqui em Alvorada, da forma mais doída, do outro lado do balcão, como é fácil ser oposição e criticar o governo, e como é preciso mais do que discursos inflamados para tocar uma cidade. A emblemática foto do “campeonato de golfe”, que o então candidato Professor Serginho difundiu pelas redes sociais e pela imprensa, em que, acompanhado de vereadores e assessores petistas, ironizava a quantidade de buracos existentes em um bairro da cidade na administração anterior, se transformou num dos maiores símbolos da inconsistência de seus discursos.

Luz no túnel
Hoje os buracos estão multiplicados, se proliferaram por toda a cidade. Os serviços públicos municipais, em geral, são vergonhosos. Na saúde e na educação, mesmo com verbas vultuosas do governo federal, a precariedade virou a regra. E não há perspectiva de se reverter o quadro. Não nesse modelo de gestão, em que a prioridade tem sido os arranjos políticos e o aparelhamento da máquina administrativa, ao invés da excelência na gestão através de pessoas qualificadas nas diferentes áreas. Mesmo sendo ano eleitoral, em que poderia se esperar aquela velha e vergonhosa prática de despejar recursos para garantir a vitória nas urnas, parece difícil que se consiga reverter o estrago que se permitiu acontecer com Alvorada.

Justificativas
Difícil está sendo para o PTB, como será para o PDT, explicar para o eleitor que agora fazem oposição ao governo do PT, do qual participaram durante três anos, e ajudaram a construir o quadro que aí está. O PTB já está apresentando sua pré-candidata à prefeitura, e o PDT também está ensaiando um nome. A julgar pelo histórico recente, não será nenhuma surpresa se ali adiante um dos dois acabar compondo chapa com o próprio PT, e o outro vá procurar um candidato de oposição mais competitivo. E que, passadas as eleições, os perdedores negociem com os vencedores um “espaçozinho” no poder.

COMENTÁRIOS ()