Quarta-Feira, 22 de Novembro de 2017 |

Colunista


Entre Linhas


Werner Pfluck


wernerpfluck@hotmail.com


Não é comigo!
O vereador Marcus Thiago, do PT, publicou uma nota dizendo que é “inadmissível a Prefeitura se permitir ficar sem nenhuma capacidade de resposta na iluminação pública”, e que há “precariedades inaceitáveis na manutenção de vias”. Como as eleições estão se aproximando, é preciso afinar o discurso e parecer preocupado com as questões da cidade, mesmo que para tanto se esqueça de que foi secretário municipal desta mesma administração que agora critica, e que, na Câmara, é um dos principais articuladores políticos da base do governo, ao lado dos colegas vereadores petistas, esmerando-se para aprovar todos os projetos enviados ao Legislativo pelo prefeito Professor Serginho, dentre os quais o polêmico aumento de 100% do IPTU no apagar das luzes de 2014, a criação de novos cargos de confiança logo no início da legislatura e da inútil, embora lucrativa, função de secretário adjunto em cada uma das secretarias municipais. Na mesma medida, empenhou-se em não cumprir a função de fiscalizar os atos do Executivo ao longo da gestão, uma das principais atribuições dos vereadores.

Nem me viu!
No início da semana, servidores municipais ocuparam a praça em frente à Prefeitura para reivindicar melhores condições de trabalho e valorização profissional, sinalizando uma iminente greve geral. O prefeito Serginho, como boa liderança política que é, e usando de toda a sua autoridade, popularidade, carisma e disposição para o diálogo, preferiu não dar as caras por lá. Ficou despachando em casa.

Amostra
Alvorada, guardadas as proporções, replica o que acontece no cenário político nacional. O governo petista de Dilma Rousseff, que não governa e tem como única meta a permanência no poder, vem ruindo e desvelando suas podres entranhas, enquanto o país agoniza e sofre os efeitos da pior recessão econômica da história. E assim como os petistas daqui, os petistas de lá de Brasília continuam fazendo de conta que não é com eles. Não sabem de nada, não viram nada e têm o maior interesse em esclarecer qualquer “malfeito” e combater implacavelmente a corrupção. O descaramento é tamanho que o ministro José Eduardo Cardozo, agora ajeitado na Advocacia-Geral da União para dar lugar no ministério da Justiça a outro petista que tenha mais disposição para cabrestear a PF, disse que o senador Delcídio do Amaral não tem nenhuma credibilidade, depois das denúncias que apresentou na delação premiada ao Ministério Público Federal. Tanto não tem credibilidade que era o líder do governo de Dilma Rousseff no Senado. Até ser preso e ter suas falcatruas, orquestradas com Lula e Dilma, expostas em rede nacional.

COMENTÁRIOS ()