Segunda-Feira, 25 de Setembro de 2017 |

Colunista


Falando de Segurança


Paulo Franquilin


franquilin.pc@gmail.com


Ainda há esperança

No Carnaval passei por uma experiência interessante, envolvendo minha família e um velho cachorro, o qual chegou até nossa casa pelas mãos de um casal de amigos, pois estou procurando um cão para meu filho conviver durante sua infância.

O casal estava no cinema num shopping e ao saírem avistaram o cachorro que havia sido atropelado por uma caminhonete e que não socorreu o animal, sem pestanejar colocaram o cão no carro e foram até uma veterinária, que constatou estar tudo bem.

Nesta parte entra nossa família, recebi a ligação de que haviam encontrado um cachorro dócil e que estava perdido, perguntando se não queríamos para fazer um teste com nosso filho, já que era um cachorro adulto que precisava de acolhimento.

Recebemos o nosso amigo de quatro patas em nossa casa, muito assustado, mas calmo e obediente, passamos a cuidar dele, até demos um nome, conseguimos um espaço para acomodá-lo e meu filho planejou comprar muitos utensílios para seu novo companheiro.

Conversamos, os adultos, e decidimos que nosso parceiro não estava em condições de acompanhar a energia de nosso filho, estava muito debilitado pela idade, com alguns problemas de saúde, que não sabíamos quais eram, pois não se alimentava e nem ouvia direito.

Diante da situação decidimos colocar um pedido nas redes sociais para alguém interessado em auxiliar a conseguir um local mais adequado ás necessidades de tratamento que nosso cão vovô necessitava.

No mesmo dia recebi dezenas de mensagens de pessoas querendo auxiliar, inclusive a informação de que a família dona do Milk estava procurando seu companheiro desesperadamente, sendo que conversamos com eles e acertamos de virem buscar seu cão, o lado alegre, enquanto o lado triste era explicar para nosso filho que Milk tinha donos e estavam tristes por perdê-lo.

Ele entendeu e pediu para que conseguíssemos um cachorro que ninguém viesse buscar, assim estamos com um novo companheiro a caminho, que devemos buscar no final de semana e que ainda não tem nome, mas que será muito amado por nós, envelhecendo, como o Milk, junto da família.

COMENTÁRIOS ()