Segunda-Feira, 18 de Dezembro de 2017 |

Colunista


Falando de Segurança


Paulo Franquilin


franquilin.pc@gmail.com


Grêmio Tricampeão da América

O Grêmio chegou ao tricampeonato da Libertadores da América de forma inquestionável, sem nenhuma cena de violência, apenas com o jogo de futebol, causando uma felicidade imensa na nação tricolor, colocando o clube num seleto grupo de times brasileiros com três títulos na competição.

A trajetória iniciou no ano de 1983, quando assisti a primeira conquista dentro do Estádio Olímpico, com cem mil gremistas fazendo as arquibancadas tremerem, vi a jogada de Renato, alçando a bola da ponta direita para o meio da área e César cabeceando, atirando-se contra os jogadores e o goleiro do Penharol, colocando a bola no fundo das redes. O zagueiro De Léon levantou a taça, com sangue no rosto, enquanto os torcedores gritavam: É Campeão!

Depois em 1995, a segunda conquista da América, que também pude ver, com um pênalti marcado, a cobrança precisa de Dinho, vencendo o goleiro Highita, fechando o placar do bicampeonato. Desta vez coube ao capitão Adilson levantar a taça, levando alegria para a nação gremista.

A busca pelo tricampeonato neste ano levou esperança para os gremistas, passamos por uma fase de grupos, depois nas outras fases, o time foi superando adversários, chegando à final com o Lanús, batendo o time argentino na Arena e depois no La Fortaleza.

Desta vez a taça foi erguida pelo zagueiro Geromel, capitão do tricampeonato, cercado pelos companheiros que fizeram a história do Grêmio, coroando a trajetória de Renato, o único brasileiro a conquistar a Libertadores como jogador em 1983 e agora como técnico com o mesmo clube.

Obrigado a todos os jogadores e comissão técnica pela conquista, que enche de alegria toda a nação gremista, agora esperando o momento de disputar o Mundial e quem sabe conquistar o bicampeonato, novamente levando Renato a ser jogador e técnico Campeão do Mundo.

Resta aos torcedores aguardar as próximas cenas desta história maravilhosa de um clube gaúcho que conquista pela terceira vez a Libertadores da América.

COMENTÁRIOS ()