Quinta-Feira, 30 de Março de 2017 |

Colunista


Falando de Segurança


Paulo Franquilin


franquilin.pc@gmail.com


CERCAMENTO DE PRAÇAS
Novamente estão pensando em cercar a Redenção para solucionar os problemas de insegurança e depredação, isolando o espaço público, com algumas entradas para acesso durante o dia, à noite, fechamento completo.
A grande questão é o que mudará com o cercamento, as pessoas terão mais grades no ambiente público, já que para onde olharmos temos grades, somos dependentes destas barras de ferro para sentirmos segurança.
Temos grades nas portas e janelas de nossas casas, nos prédios públicos, nos estabelecimentos bancários e comerciais, agora teremos grades na Redenção para não termos medo de andar naquele lugar.
A polêmica é grande, mas quanto será que vai custar este cercamento, será que vai resolver o problema, não estragará este belo cenário urbano, um espaço de liberdade do povo gaúcho. Depois vão cercar todas as praças dos bairros, os grandes parques de todas as cidades.
Imaginem todas as praças com grades no seu entorno, seria uma derrota do povo frente à criminalidade, que migraria para outros locais onde não existissem cercas, o problema só trocaria de lugar, mas continuaria existindo.
Cercamos nossas casas e isto não impede que sejamos surpreendidos por visitas indesejadas, escolas são invadidas mesmo com toda estrutura de grades que as cercam.
A intenção de fazer o crime não vai deixar de existir, o cercamento apenas vai dar uma falsa idéia de que estamos protegidos, precisamos na verdade é mudar a legislação, vandalismo ser um crime mais grave, investir na educação de nossas crianças, criando consciência coletiva, para que protejam o bem público, pensem nos outros antes de destruir um bem comum.
O caminho para a solução é longo e precisa de debates, mas o cercamento é apenas um paliativo para a falta de segurança e de educação de nosso povo.
Presença policial e povo educado esta é a solução para as praças.

COMENTÁRIOS ()