Quinta-Feira, 30 de Março de 2017 |

Colunista


Falando de Segurança


Paulo Franquilin


franquilin.pc@gmail.com


AFETO GARANTE EDUCAÇÃO
As necessidades mais básicas do ser humano são comida e água. Depois segurança, saúde e moradia. Atualmente: status, poder e aparência. Vivemos numa sociedade em que seus membros necessitam aparentar ser, mostrar, exibir. Além disso, há um desvio do foco das famílias que preferem dar presentes aos filhos ao invés de convivência e carinho. Os valores mais importantes são ter ou aparentar ter e não o que somos na essência.
A sociedade atual produz pessoas em série, todos destinados a querer as mesmas coisas, pensar da mesma maneira e preocupar-se consigo mesmos, não há um pensamento de coletividade, de auxílio, apenas a máxima: cada um por si.
A educação é fruto de todo um processo que inicia na família, transmitindo os valores de uma sociedade de consumo, individualista, alicerçada na indiferença às necessidades do outro, baseada na falta de tempo e na preocupação em adquirir o material.
Sentimentos são cada vez menos valorizados, demonstrar afeto pelos outros não é necessário na família, que com sua indiferença leva as crianças para as escolas, que reproduzem a visão distorcida da sociedade, que não tem preocupação com as características do indivíduo, que transmite idéias e ensina pelo sistema industrial, com um objetivo final: transformar crianças em adultos com a mesma maneira de pensar.
Envolvimento afetivo dentro da escola entre professores e alunos, com respeito mútuo e uma relação dialógica, são raros, pois o sistema educacional é firmado numa relação de individualidade na forma de transmitir idéias e de coletividade para receber, ou seja, uma idéia do professor deve tornar-se a idéia de todos os alunos.
Os pais não têm preocupação em acompanhar o desempenho escolar, não há envolvimento, os professores isolam-se no seu modo de ensinar, a escola não ouve todos os envolvidos no processo ensino-aprendizagem, não existindo uma relação de afetividade, que nada mais é que se deixar afetar e afetar a vida do outro, num crescimento de todos, resultando numa educação melhor de toda a sociedade.
É preciso recuperar os valores de honestidade, comprometimento, respeito, empatia, carinho, escuta, permitindo que família, escola e sociedade melhorem, ou então teremos no futuro, pessoas isoladas, frias e sem nenhuma preocupação com o bem estar do outro.

COMENTÁRIOS ()