Quinta-Feira, 30 de Março de 2017 |

Colunista


Falando de Segurança


Paulo Franquilin


franquilin.pc@gmail.com


LICITAÇÃO DO TRANSPORTE PÚBLICO
O transporte público de Porto Alegre está em processo de licitação para as empresas interessadas em receber a concessão para prestar um serviço público, mediante atendimento das condições previstas em edital, que deve atender as necessidades dos usuários dos ônibus.
Para ouvir os usuários realizam-se audiências públicas e consultas, através de formulários ou internet, visando buscar o que deseja o usuário, quais as condições dos veículos, tipo de banco, itens de conforto, tipo de acesso, entre outros aspectos da rotina do uso dos ônibus.
A primeira audiência pública terminou em pancadaria, depredação do patrimônio público, vandalismo e violência. Não foi possível ouvir os interesses da população porque alguns resolveram que com pedras, rojões e agressões poderiam convencer que suas ideias eram as melhores.
Não podemos confundir liberdade de expressão com desrespeito ao direito de manifestação do outro, nem vandalismo como sendo ato democrático, democracia tem a ver com responsabilidade e respeito aos direitos e deveres de cada indivíduo e da coletividade.
A civilização pressupõe acordos entre os diversos segmentos da sociedade para uma convivência harmônica, sendo necessário respeitar a decisão da maioria para qualquer assunto. No caso do transporte coletivo já está claro o que deseja a população: transporte eficiente e preço acessível.
Qualquer tentativa de mudar isto na marra vai ser rechaçada pela população, que não aguenta mais tantas isenções para empresas privadas, que não melhoram seus serviços, nem tantos transitando gratuitamente, sem provar a real necessidade de tal benefício.
Transporte gratuito para todos seria o ideal, mas não temos ainda a estrutura estatal e aporte de recursos destinados para isto. Temos muita sonegação fiscal, desvio de dinheiro público, problemas de gestão e, principalmente, legislações ineficientes para resolver todas as necessidades populares.
Somente com licitações transparentes, com editais bem elaborados e apoio da população é que conseguiremos acabar com cartéis e monopólios no setor de transporte público. As mudanças no transporte público já esperaram muito tempo e agora precisam acontecer, mas sem atos violentos que não contribuem para alterar a realidade do transporte público.

COMENTÁRIOS ()