Quarta-Feira, 23 de Agosto de 2017 |

Colunista


Falando de Segurança


Paulo Franquilin


franquilin.pc@gmail.com


SEMENTES DO AMANHÃ
Temos atualmente um modo de receber informações que se altera rapidamente, as novidades tecnológicas atropelam as antigas gerações, que não foram preparadas para trabalhar com tantos aplicativos e formatos de meios para trazer as novidades que acontecem no mundo.
Em contrapartida nossas crianças estão cada vez mais antenadas no que ocorre no mundo virtual, tendo a possibilidade de acessar todo o tipo de informações, muitas vezes, sem o acompanhamento dos pais, os quais nem sabem o que está sendo visto por seus filhos.
Aquilo que vem na internet não tem filtro, basta clicar e digitar algumas palavras nos sites de busca e qualquer pessoa, criança, adolescente, adulto ou idoso recebe na tela imagens e textos sem nenhum tipo de controle.
Desta forma cabe aos adultos ficar atentos para aquilo que as crianças acessam, pois tudo que elas recebem e colocam em suas vidas hoje, será transformado no modo de pensar e de entender o mundo quanto forem adultos.
Não há meio mais correto de prevenir a deformação no modo de pensar das crianças do que o diálogo aberto e sincero, dizer o que pode ser feito e o que é proibido, para que não sejamos surpreendidos com adultos agressivos ou insensíveis ao que ocorre de ruim ao seu redor.
Precisamos falar de nossos medos, nossas preocupações, demonstrar interesse na vida de nossos filhos, pois se não sentirem que são importantes para seus pais, os filhos buscarão em outras pessoas aquilo que não tem em seus lares, ou na tela do computador, que nunca nega nada e mostra tudo sem nenhum tipo de sermão.
Para que existam adultos preocupados com o bem estar da coletividade, bem equilibrados em suas ações e interessados no fazer bem ao outro, sem abrir mão de ser feliz e levar felicidade para os que vivem ao seu redor é necessário que percebam pais cidadãos, felizes e preocupados com a vida das crianças de hoje.

COMENTÁRIOS ()