Quarta-Feira, 22 de Novembro de 2017 |

Colunista


Falando de Segurança


Paulo Franquilin


franquilin.pc@gmail.com


A presença de sinaleira de pedestres e uma faixa de segurança deveriam garantir ao cidadão a tranquilidade de atravessar a rua sem grandes preocupações, porém o que acontece na prática é um desrespeito ao sinal vermelho e para a faixa zebrada, quando veículos, conduzidos por motoristas com pressa avançam o sinal e cruzam a faixa sem nenhum cuidado.
Os pedestres idosos, gestantes e crianças, pela sua fragilidade e condição física, demoram a atravessar a rua e, muitas vezes, não concluem a travessia com o sinal fechado, sendo vítimas de buzinas tocadas em descontrole para acelerarem o passo.
A simples presença da faixa de segurança para pedestres deveria fazer os motoristas diminuírem a velocidade e, caso uma pessoa mostrasse intenção de atravessar, os veículos deveriam ficar parados, aguardando a travessia dos pedestres, mas isto não acontece devido à falta de educação e descumprimento da legislação de trânsito.
A fiscalização não acontece como previsto, seja pela ausência de agentes de trânsito ou pela existência de outras infrações mais graves no nosso trânsito caótico. Temos veículos estacionados e parados em locais proibidos, sobre calçadas, em fila dupla em frente às escolas, transitando na contramão de direção. Sem contar com os motoristas falando ao celular, dirigindo embriagados, levando crianças sem cadeiras adequadas e sem usar cinto de segurança.
O trânsito está sendo organizado para priorizar os veículos, com a construção de vias cada vez mais largas e com mais pistas, sem locais para travessia de pedestres, que não são previstos nas construções viárias. As calçadas estão cada vez mais estreitas, sem pavimento adequado, obrigando, não raras vezes, os pedestres a circularem na via destinada aos veículos, com grande risco de serem atropelados.
As bicicletas são outro ponto esquecido no planejamento de trânsito das cidades, com criação de ciclovias inadequadas à realidade dos ciclistas, são estreitas, não permitindo que haja trânsito em mão dupla, além de existir falta de educação de todos, com uso inadequado das ciclovias existentes.
Os pedestres devem ter cuidado triplicado: atentar para o sinal verde para atravessarem, verificar se os carros não avançarão o sinal vermelho e se os ciclistas irão parar nas faixas de segurança nas ciclovias.
Atravessar a rua tornou-se uma aventura perigosa.

*Ten Cel BM, Jornalista e Escritor

COMENTÁRIOS ()