Quinta-Feira, 23 de Novembro de 2017 |

Colunista


Falando de Segurança


Paulo Franquilin


franquilin.pc@gmail.com


Os caminhos das drogas

O Brasil não é produtor, em grande escala, de drogas ilícitas, mas possui um mercado de milhões de usuários que utilizam diversos tipos de drogas que chegam ao país pelos mais diversos meios.
Os caminhos das drogas iniciam nos países produtores da América e de tantos outros países dos outros continentes, chegando ao Brasil através das fronteiras, em transportes rodoviário, fluvial, marítimo e aéreo numa rede de conexões que permitem o abastecimento do mercado consumidor brasileiro.

A fiscalização de fronteiras é falha com muitos espaços sem a presença de órgãos fiscalizadores, o que permite a chegada de enormes quantidades de drogas diariamente, somando-se a isto a falta de agentes públicos para realizar o trabalho de vigilância e controle dos carregamentos que chegam por nossas estradas, portos e aeroportos.

Após chegar às cidades o produto é distribuído em diversos bairros e vilas, onde os consumidores vão buscar diretamente com os traficantes e seus comparsas, os quais comercializam as quantidades menores para consumo dos usuários das drogas.

Não podemos esquecer a existência de corrupção em diversos níveis do sistema estatal, que tem no tráfico o maior foco da atividade de repressão às drogas, mas existem diversos segmentos envolvidos nesta enorme indústria das drogas.

Os usuários necessitam das drogas e tem nos traficantes os fornecedores para manter seus vícios, que iniciam, na maioria das vezes, durante o período da adolescência, quando a experimentação acontece.

A necessidade da orientação das famílias e das escolas para os adolescentes é um importante aspecto para que os traficantes não consigam mais consumidores para seus produtos, assim como é necessária a mudança de partes da legislação, para que os agentes públicos tenham um trabalho mais eficaz na prevenção e no combate às drogas.

Se houver uma cadeia de conscientização e orientação, não haverá consumidor final para o produto, o que vai desestabilizar os traficantes, pois não terão mercado para vender suas drogas.

Assim o caminho das drogas ilícitas pode não ter aonde chegar, sendo necessário, ainda, aumentar os efetivos policiais que trabalham no combate ao tráfico, com valorização salarial e devido reconhecimento por parte do poder público, para que haja um eficiente sistema de controle e a diminuição da corrupção policial.

COMENTÁRIOS ()