Terça-Feira, 19 de Setembro de 2017 |

Colunista


Falando de Segurança


Paulo Franquilin


franquilin.pc@gmail.com


367 votaram pelo impeachment
Agora que 367 deputados federais aprovaram o prosseguimento do processo de impeachment da presidente, viveremos outros momentos de expectativa para saber se Dilma Rousseff deixará ou não a presidência do Brasil.

Caberá ao Senado Federal, num primeiro momento, decidir se o processo segue ou é extinto, caso prossiga haverá a notificação de denúncia contra a presidente, que deverá se afastar do cargo, por até 180 dias, para defender-se das acusações que motivaram o impeachment.

Quando do afastamento, o vice-presidente Michel Temer assume a presidência, iniciando o processo de julgamento, sem prazo estipulado para conclusão, ocorrerá uma nova votação onde os senadores decidirão se Dilma vai tornar-se ré ou o processo será extinto.

Durante o processo as mudanças começam pelos ministérios e chegam a todos os escalões do governo, com mudanças em todas as áreas da administração federal, o que acarretará alterações na economia e nas prioridades governamentais.

Caso o processo seja arquivado, deixando de ocorrer o julgamento, Dilma reassume a presidência, porém voltará tendo que encarar um novo cenário administrativo, possivelmente muito diferente do que temos atualmente.

Ainda há todos os recursos na esfera judicial que poderão ser usados pela defesa da presidente, visando impedir que o processo de impeachment prossiga no Senado, em manobras jurídicas que terão por objetivo adiar o afastamento da presidente.

Assim nada está decidido, apenas uma parte do rito processual do impeachment foi concluído, havendo ainda diversas etapas a serem ultrapassas para que saibamos se haverá ou não o afastamento da presidente Dilma.

COMENTÁRIOS ()