Terça-Feira, 19 de Setembro de 2017 |

Colunista


Falando de Segurança


Paulo Franquilin


franquilin.pc@gmail.com


Passados alguns dias da tragédia de Santa Maria, eu tenho a impressão de que os culpados por tudo que aconteceu foram os mais 230 jovens que lá morreram, afinal porque eles não notaram que havia uma espuma tóxica no teto da boate Kiss.
Claro que poderiam saber que se o vocalista da banda usa-se um fogo de artifício esta chama iria queimar todo o teto de espuma.
Também se deve culpar todos que lá estavam por não verificarem que os banheiros estavam lacrados, numa obra de engenharia na fachada do prédio, que não permitia as janelas ficarem expostas, sendo cobertas, tornando o local uma câmara de gás expelido pela espuma queimada.
Claro que deveriam saber que os documentos para funcionamento daquela boate estavam irregulares, pois isto era amplamente divulgado para o público, afinal as licenças sempre ficavam expostas para todos verem e poderem decidir se ficariam ou não no local.
Os jovens deveriam contar quantos havia no interior da boate para evitar a superlotação do lugar, quando chegasse ao número previsto nos documentos, os excedentes deveriam voltar para suas casas.
Deveriam saber que a saída de emergência tinha de ser planejada para permitir a evacuação do local em 3 minutos, com facilidade de acesso, com iluminação de emergência adequada.
Todos que lá estavam deveriam ter planejado a estrutura do local, participado da fiscalização das obras realizadas, determinado a colocação de extintores e outras medidas de prevenção de incêndios.
Os mortos não tiveram a preocupação de cuidar de sua segurança, foram descuidados, amontoaram-se num espaço inadequado, foram negligentes, atraídos por uma apresentação de bandas, querendo angariar fundos para suas formaturas.
As autoridades responsáveis e os proprietários da boate não tiveram culpa nenhuma, afinal não forçaram ninguém a estar lá, nem mesmo era necessário preocuparem-se com a regularização da boate Kiss e providenciarem em possuir duas portas de saída de emergência, extintores regularizados e revestimento acústico não inflamável, mas isto é culpa dos mortos que não cuidaram de nada disto.

COMENTÁRIOS ()